Menu
Busca segunda, 18 de janeiro de 2021
(67) 99820-0742

Senador revê decisão e mantém prazo de 15 dias para defesa de Dilma

06 junho 2016 - 22h18

O presidente da Comissão Processante do Impeachment, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), recuou da decisão de reduzir o prazo de alegações finais da defesa da presidente Dilma Rousseff e anunciou nesta segunda-feira (6) a restituição do prazo inicialmente previsto de 15 dias.

Lira havia deferido questão de ordem da senadora Simone Tebet (PMDB-MS) na semana passada, sob alegação de que o prazo poderia ser reduzido para cinco dias corridos em razão de mudanças no Código de Processo Penal posteriores ao impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello, quando foi utilizado prazo de 15 dias.

O advogado de defesa da presidente afastada, José Eduardo Cardozo, apresentou recurso ao presidente do processo, ministro Ricardo Lewandowski, solicitando que a mudança no prazo fosse revista e que fosse adotado prazo de 20 dias, uma vez que esse foi o período concedido para as alegações iniciais da defesa.

O presidente da comissão acatou hoje parcialmente o recurso de Cardozo, restaurando o prazo de 15 dias. Lira disse que esta foi uma decisão pessoal, tomada após uma “reflexão filosófica” que o fez evoluir em seu pensamento.

“Era razoável que a defesa trabalhasse com a expectativa de direito baseado no prazo processual de 1992”, afirmou Raimundo Lira, considerando ainda que, se há duas possibilidades de prazo, a dúvida deve ser a favor do réu. Nesse caso, o prazo de 15 dias.

“Essa decisão foi absolutamente pessoal. Como disse na última reunião, na presidência não podemos aceitar qualquer tipo de pressão, porque isso desvirtuaria o trabalho de nossa comissão”, acrescentou o presidente. Raimundo Lira informou que se embasou em pareceres técnicos.

Ainda são aguardados para hoje decisões de Lewandowski relativas a outros recursos apresentados, entre eles o do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), que requer redução de 48 para 16 o número de testemunhas de cada parte no processo.

Via: Campo Grande News

Deixe seu Comentário

Leia Também

"A luz da ciência chegando via Butantan e Fiocruz!", diz Mandetta nas redes sociais
Denúncia anônima pelo 181 da PM ajuda no combate de crimes
Enfermeira que tomou 1ª dose de vacina no Brasil pede para população não ter medo
Empreendedora de turismo investe na agricultura familiar e resolve divulgar produção no Manucã
Mato Grosso do Sul recebe 97 mil doses de vacina contra Covid-19
Povo das Águas atende ribeirinhos da parte alta do rio Paraguai a partir do dia 19
Em depressão, mulher enforca filha de três anos até a morte e se mata
Após aprovação pela Anvisa, Corumbá aguarda a chegada das doses da vacina contra a Covid-19
Coronavac chega às 10h em Campo Grande com reforço: são 158.766 doses
Jovem de 21 anos é assassinado a tiros em Corumbá