Menu
Busca domingo, 24 de janeiro de 2021
(67) 99820-0742

Justiça Eleitoral pode cancelar 38.780 títulos de faltosos em MS

23 fevereiro 2017 - 15h06Por Campo Grande News

Levantamento da Justiça Eleitoral aponta que 38.780 faltosos podem ter o título de eleitor cancelado em Mato Grosso do Sul. O maior número é em Campo Grande, com 12.606 pessoas. Enquanto o menor é em Taquarussu: 31 títulos de eleitor. Eles deixaram de votar nas três últimas eleições.

A lista com o nomes ficarão disponíveis nos cartórios eleitorais por, no mínimo, dez dias. Os eleitores que constarem na relação de faltosos deverão comparecer ao cartório eleitoral no período de 2 de março a 2 de maio.

A pessoa deverá apresentar documento com foto que comprove sua identidade, título eleitoral e comprovantes de votação, de justificativa e de recolhimento de multa ou de dispensa de recolhimento.

O não comparecimento para comprovação do exercício do voto, da justificativa de ausência ou do pagamento das multas correspondentes implicará o cancelamento automático do título de eleitor, a ser efetivado de 17 a 19 de maio

Cada turno do pleito é considerado uma eleição e a Justiça Eleitoral não expedirá nenhuma notificação ao eleitor informando sobre a pendência no cadastro eleitoral. O dados revelam que o número de eleitores faltosos no Brasil chega a 1,9 milhão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mesmo com vacina, Brasil registra 1.202 mortes por covid em 24 horas
Professor acusado de abusar de afilhada e irmã é preso em Aquidauana
Com presença de Pazuello, avião com 2 milhões de doses de vacina pousa em Guarulhos
Sobrevivente de chacina em 2017 é executado a tiros em Pedro Juan
Projeto de MS cria 'licença 1ª infância' para mães cuidarem dos filhos até 3 anos
Tempo quente e possibilidade de chuva marcam o sabadão em MS
Mulher descobre vídeo íntimo da filha no celular do marido e atira nele
Motoentregador morre após bater em caminhão
‘Fica calmo, cadê a chave do carro?’, diz bandido ao roubar veículo em Campo Grande
Mulher perde mais de R$ 3 mil em golpe do whatsapp clonado