Menu
Busca sexta, 15 de janeiro de 2021
(67) 99820-0742

Suspeito mora próximo ao local, diz delegada responsável pelo caso da morte de cães no Guató

21 julho 2016 - 17h02

A Polícia Civil já investiga o caso dos dez animais que morreram no bairro Guató, localizado na parte alta da cidade. O crime, que assusta os moradores da região, vem acontecendo desde a semana passada, quando oito animais foram encontrados mortos, na Quadra 17, da Alameda Tucano.  

Desde então, o registro de cães com suspeita de envenenamento vem aumentando e chamando a atenção da população corumbaense. No domingo (17), uma cadelinha, que estava agonizando, apresentou os mesmos sintomas dos outros animais.

Já no início desta semana, outra cadela foi encontrada morta. Ao lado do corpo, um pedaço de salgado, que provavelmente estava com veneno e foi ingerido pelo animal, que acabou vindo a óbito. O caso foi registrado pela dona do cachorro nas redes sociais.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Thais Cavalcante França, uma equipe de investigadores já esteve no local colhendo informações que possam levar à pessoa que vem cometendo esses crimes.

“Nós já estamos com um suspeito, porém, estamos trabalhando o caso. Conversamos com os donos dos animais, que registraram o boletim de ocorrências. A pessoa que vem cometendo esses crimes mora próximo ao local. Assim que concluirmos o caso, iremos encaminhar para o juizado”, informou ao Corumbá Agora a delegada Thais França.

Ainda conforme ela, a orientação, caso outros cães sejam vítimas, é de que os donos registrem o BO, “e que qualquer objeto encontrado próximo à eles, como pedaço de salgado, ou até mesmo carne, como foi o caso dos oito animais, que eles possam embalar e colocar dentro de um recipiente e trazer até a delegacia, para que possamos realizar exames que comprovem se foi ou não envenenamento”, explicou.

É crime

No Brasil, maltratar animais de qualquer espécie é considerado CRIME AMBIENTAL, segundo prevê o art. 32 da Lei nº 9.605, de1998, com pena de detenção de três meses a um ano e multa.

Além da violência física, são considerados maus tratos contra os animais: o abandono em via pública; mantê-lo permanentemente acorrentado; não abrigar do sol e da chuva; mantê-lo em local pequeno, não higiênico e/ou sem ventilação adequada; não alimentar diariamente; negar assistência ao ferido; obrigar o animal a trabalho excessivo, etc.

 

 

Fonte: Leonardo Cabral (colaboração) 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Com 1.101 vagas, inscrição para vestibular UEMS 2021 vai até 24 de janeiro
Regime previdenciário foi tema de ação da PGE
Segunda etapa de pré-matrícula da REE se encerra nesta sexta
Há 21 anos, Michele amputou perna após acidente e precisou ressignificar sentido da vida
Bêbado recusa teste e ameaça policiais de morte em operação Lei Seca
Dupla que invadiu hotel, agrediu idoso e roubou R$ 10 mil é presa
Pega ladrão: bandido é espancado após roubar celular no Los Angeles
Mulher pega "empréstimo" e denuncia ameaças de agiota em Campo Grande
Grávida flagra traição e é espancada a pauladas pelo marido em MS
Caminhoneiros pedem reunião com Bolsonaro para evitar greve em fevereiro