Menu
Busca segunda, 01 de março de 2021
(67) 99820-0742

Curandeira cobra R$ 4,8 mil para salvar mulher de espírito da morte

29 maio 2019 - 10h45Por MidiaMax

Curandeira foi denunciada à Polícia Civil nesta terça-feira, depois de importunar uma fiel que se recusou a pagar R$ 4.800 para ser salva de suposto espírito da morte. A vítima, de 25 anos, disse que inicialmente concordou em repassar o valor, mas após mudar de ideia, passou a ser perseguida.

Consta no boletim de ocorrência que a suspeita é conhecida por realizar rituais espirituais em sua residência, em nome de uma igreja, na região do Oliveira. Durante os encontros, ela usa objetos pessoais como roupas, chaves e documentos para fazer revelações. Em uma destas ocasiões, a curandeira disse que a vítima estava sendo assombrada pelo espírito da morte, que tinha intenção de “ceifar sua vida”.

Para que não fosse morta, a fiel deveria repassar o valor de R$ 800 todos os dias 10 de cada mês, durante seis meses. A curandeira ainda pediu um papel com o nome da vítima, assinado por ela, para que as orações pudessem surtir efeito. Em primeiro momento, a fiel chegou a concordar, porque ficou nervosa com a situação, mas posteriormente mudou de ideia.

Ela procurou responsáveis da igreja que alegaram que era errado este tipo de cobrança. A vítima então tentou reaver o papel que havia assinado, mas a curandeira não entregou e passou a importuná-la. Por este motivo, o caso foi denunciado à polícia, sendo registrado como curandeirismo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Último dia de fevereiro será de 'fritar
Ex-ministros da Saúde recomendam lockdown para evitar colapso no Brasil
Prefeita de Bella Vista é baleada na frente de casa
Homem capota carro, rasga uniforme de bombeiro e acaba preso em Campo Grande
Bêbado tenta furar bloqueio policial com carro recheado de bebidas no Monte Castelo
Homem é morto após discussão em bar de Ribas do Rio Pardo
Tempo firme, chuvas isoladas e máxima de 35ºC em MS
Tarifa da conta de energia segue bandeira amarela para março
Mãe é empurrada pelo filho após discutir com nora em Campo Grande
Festa com bebida, som alto e gritaria é encerrada no Jardim Tarumã