Menu
Busca domingo, 28 de fevereiro de 2021
(67) 99820-0742

Mato Grosso do Sul recebe estudo inédito de alimentação e nutrição infantil; Corumbá está na lista das cidades que serão visitadas

27 maio 2019 - 16h30Por Dourados Agora

O Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani), pesquisa da UFRJ encomendada pelo Ministério da Saúde, está visitando, até junho, 540 domicílios em Mato Grosso do Sul para coletar informações detalhadas sobre hábitos alimentares, peso e altura de crianças de até cinco anos. Também são realizados exames de sangue nos participantes com mais de seis meses de vida e o mapeamento sanguíneo de 14 micronutrientes, como os minerais zinco e selênio, e vitaminas do complexo B, além de investigadas informações sobre amamentação, doação de leite humano, consumo de suplementos de vitaminas e minerais, habilidades culinárias, ambiente alimentar e condições sociais da família. As visitas domiciliares estão sendo realizadas nas cidades de Campo Grande, Corumbá, Dourados, Nova Andradina e Três Lagoas. Ao todo, 15 mil crianças participarão do Enani em 123 municípios brasileiros.

O objetivo é obter dados inéditos sobre o crescimento e o desenvolvimento infantil para compor um retrato da nutrição infantil no Brasil, que possa subsidiar a elaboração de políticas públicas na área de saúde e nutrição no futuro. O coordenador nacional do Enani, o pesquisador Gilberto Kac, destaca que um inquérito tão completo como este trará informações inéditas sobre alimentação infantil e o perfil de deficiência de vitaminas e minerais das crianças brasileiras. 'Os dados sobre estado nutricional antropométrico poderão ajudar a responder, por exemplo, se a desnutrição está realmente diminuindo como um problema epidemiológico. Por outro lado, o estudo deverá corroborar a acertada definição do Ministério da Saúde em indicar a prevenção da obesidade com prioridade em sua agenda', adianta o pesquisador.

Nesta segunda fase, até o início de junho, o Enani vai visitar 2.760 domicílios em 20 municípios de Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Minas Gerais, além de Brasília e regiões administrativas do Distrito Federal. O primeiro ciclo de visitas domiciliares do Enani, que começou em março, continua percorrendo casas no Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia. Até o fim do ano, todos os estados brasileiros receberão os pesquisadores de campo. A agenda dos próximos ciclos será divulgada posteriormente.

Todas as etapas serão realizadas por pesquisadores identificados com camisa e crachá contendo o nome e a fotografia do entrevistador, além do logotipo do Ministério da Saúde. Os dados informados são sigilosos e, em hipótese alguma, os nomes das crianças ou dos seus responsáveis serão identificados.

A participação dos indivíduos é voluntária. No início da pesquisa, o entrevistador explicará todos os procedimentos e entregará aos participantes um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Esse documento informa sobre todos os detalhes do estudo e orienta como o selecionado pode entrar em contato com a central do estudo para tirar quaisquer dúvidas que surjam, incluindo a opção gratuita de ligar para o número 0800 808 0990. A realização da pesquisa segue rigorosa metodologia científica e foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da UFRJ.

Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (ENANI)

Visitas domiciliares em MS: Campo Grande, Corumbá, Dourados, Nova Andradina e Três Lagoas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Último dia de fevereiro será de 'fritar
Ex-ministros da Saúde recomendam lockdown para evitar colapso no Brasil
Prefeita de Bella Vista é baleada na frente de casa
Homem capota carro, rasga uniforme de bombeiro e acaba preso em Campo Grande
Bêbado tenta furar bloqueio policial com carro recheado de bebidas no Monte Castelo
Homem é morto após discussão em bar de Ribas do Rio Pardo
Tempo firme, chuvas isoladas e máxima de 35ºC em MS
Tarifa da conta de energia segue bandeira amarela para março
Mãe é empurrada pelo filho após discutir com nora em Campo Grande
Festa com bebida, som alto e gritaria é encerrada no Jardim Tarumã