Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021
(67) 99820-0742

Golpe do falso emprego faz vítimas na região do Pantanal

29 julho 2016 - 07h06

A busca por uma vaga no mercado de trabalho, que já é difícil, mediante ao cenário econômico que o Brasil enfrenta, torna-se ainda mais complicada, devido ao golpe do falso emprego. Essa prática é aplicada com frequência por quadrilhas especializadas, em todo país, e, em Corumbá, a situação não é diferente.

De acordo com a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de Corumbá (Procon), um caso relacionado ao golpe, já foi registrado no município este ano, e a vítima, um homem, que não teve o nome revelado, procurou de imediato a instituição, após ter sido enganado pela empresa, o qual havia realizado o cadastro.

“São casos no qual a população tem que tomar muito cuidado, neste, por exemplo, a vítima nos procurou duas vezes, dizendo, que na primeira, ele havia se cadastrado em um site que estava oferecendo uma vaga de emprego para a nossa cidade, mas para concorrer à vaga, teria que se inscrever em um curso pago. Logo, pelo interesse no emprego, ele foi e fez”, contou a diretora-presidente do Procon Andréa Cabral Ulle.

Ainda conforme ela, ao finalizar o curso, o rapaz acabou descobrindo que na realidade foi enganado. “Essa tal empresa disse a ele, que a vaga não era para Corumbá, e sim, para a cidade de Campo Grande. Após uma semana, ele nos procurou informando que nesse tempo, ele havia visto o mesmo anuncio ofertando a vaga para Corumbá e resolveu procurar o Procon, onde foi repassada a orientação para que o mesmo registrasse o boletim de ocorrências ”, disse.

Esse tipo de abordagem, principalmente, com anúncios na internet, atrai muitos olhares, já que a facilidade e as ofertas parecem ser vantajosas, despertando o interesse, quando o assunto é uma vaga de emprego.

“Caso alguém passe por essa situação, além de procurar a polícia, para que a empresa responsável seja notificada, nós aqui do Procon,  informamos que é necessário a vítima ter em mãos, o nome do fornecedor e CNPJ. Mas quando ele não tem, ainda sim, verificamos a situação até chegar nos responsável. Tudo aquilo que é vantajoso, deve ser visto com cautela, deve ser pesquisado”, alertou Ulle.

É crime aplicar golpe 

Procurado pela equipe do Corumbá Agora, o delegado titular da Polícia Civil de Ladário Fernando Araújo da Cruz Júnior, afirma que este tipo de crime, caracteriza-se como estelionato, ou seja, uma fraude praticada que induz alguém, a uma falsa concepção de algo, com intuito de obter vantagem ilícita para si ou para outros.

“As pessoas devem sempre desconfiar desses anúncios, já que eles não garantem emprego nenhum. Qualquer facilidade deve ser pesquisada antes de se inscrever ou até mesmo quando envolve depósito em contas bancárias. O alerta tem que sempre existir”, explicou o delegado Fernando.

Complementando, o titular da delegacia da PC, informou que esta prática de crime se aproxima aos golpes em celulares, onde as pessoas recebem mensagens de textos, anunciando premiações em dinheiro, que para receber, elas têm que efetuar um depósito com determinada quantia no banco, falso sequestro e até mesmo vagas de empregos.

“Essas denuncias acontecem com frequência nesta região, principalmente em Ladário, mais precisamente no final do ano, onde a nossa delegacia recebe de duas a três vezes por semana, casos desta natureza. Por isso é sempre importante procurar a Polícia”, finalizou Araújo Cruz Junior.

A pena para quem cometer o crime, que caracteriza-se como estelionato e organização criminosa, é de 01 a 13 anos de prisão.  

 

Fonte: Leonardo Cabral (Colaboração) 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

"A luz da ciência chegando via Butantan e Fiocruz!", diz Mandetta nas redes sociais
Denúncia anônima pelo 181 da PM ajuda no combate de crimes
Enfermeira que tomou 1ª dose de vacina no Brasil pede para população não ter medo
Empreendedora de turismo investe na agricultura familiar e resolve divulgar produção no Manucã
Mato Grosso do Sul recebe 97 mil doses de vacina contra Covid-19
Povo das Águas atende ribeirinhos da parte alta do rio Paraguai a partir do dia 19
Em depressão, mulher enforca filha de três anos até a morte e se mata
Após aprovação pela Anvisa, Corumbá aguarda a chegada das doses da vacina contra a Covid-19
Coronavac chega às 10h em Campo Grande com reforço: são 158.766 doses
Jovem de 21 anos é assassinado a tiros em Corumbá