Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021
(67) 99820-0742

Lojistas preveem crescimento de vendas para o Dia das Crianças

11 outubro 2019 - 10h30Por Agência Brasil

As vendas nos shoppings do país para o Dia das Crianças devem crescer cerca de 6%, de acordo com pesquisa divulgada, na quinta-feira (10), pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). Os lojistas esperam aumento de até 10% no fluxo de visitantes no próximo sábado (12), data dedicada ao público infantil.

A gerente de Planejamento Estratégico da Abrasce, Gabriella Oliveira, disse que “a inflação controlada, que contribui para o aumento do poder de compra das famílias; a variação positiva do volume de empregos, mesmo que ainda discreta; e um maior volume de crédito afetam positivamente a decisão de consumo”. Além desses fatores, Gabriella lembrou que os eventos promovidos pelo setor têm efeito positivo sobre o fluxo de visitantes, o que reforça a expectativa de alta de 6% nas vendas.

De acordo com a Abrasce, brinquedos, vestuário e calçados continuam sendo os principais itens comercializados no Dia das Crianças, com previsão de expansão de 92%, 54% e 38%, respectivamente. Entre as opções de lazer e entretenimento, o destaque é o cinema, com 81% de procura pelo público, e praça de alimentação, 79%. Confirmando a expectativa positiva, a Abrasce estima que o gasto médio vai oscilar entre R$ 100 e R$ 200.

Os empreendimentos esperam também elevação das vendas de itens de informática, cultura (livros, CDs e DVDs) e telefonia, que poderão atingir 31%, 17% e 27%, respectivamente.

Vendas no varejo

Já a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que as vendas no varejo referentes ao Dia das Crianças deverão evoluir 4,4% em relação a 2018, sendo o terceiro ano consecutivo de alta real, já descontada a inflação. Terceira data mais importante do calendário do varejo nacional, depois do Natal e do Dia das Mães, o Dia das Crianças deve movimentar R$ 7,8 bilhões este ano, em todo o Brasil.

O estudo da CNC indica que os presentes mais procurados serão brinquedos e eletroeletrônicos, alta de 8,2% em relação ao ano passado. Seguem-se vestuário e calçados, com previsão de 4,5% de aumento, e produtos adquiridos em hiper e supermercados, de 3,5%.

O economista da CNC, Fábio Bentes, avaliou que as medidas de estímulo à economia, anunciadas pelo governo, tendem a favorecer as vendas do setor neste segundo semestre. Entre elas, destacou a liberação de saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Fundo PIS/Pasep), além da queda dos juros básicos. Na avaliação de Fábio Bentes, “o resgate parcial do nível de atividade no varejo no Dia das Crianças é resultado da combinação entre inflação baixa, parcelamentos mais longos e disponibilização de recursos extraordinários para o consumo”.

A pesquisa da CNC aponta que as livrarias e papelarias deverão continuar em ritmo de queda, observado nos últimos anos. A projeção é de menos 4,1% de vendas desse segmento na data das crianças. Os shoppings localizados nos estados de São Paulo preveem vendas de R$ 2,2 bilhões, Minas Gerais, R$ 772 milhões, Rio de Janeiro, R$ 712 milhões, e Rio Grande do Sul, R$ 611 milhões, deverão responder por 55% do total do faturamento do dia 12 de outubro de 2019.

Dos 11 itens avaliados pela pesquisa da CNC, cinco mostraram preços mais baixos em relação à data do ano passado: roupas infantis menos 4%; tênis, 3%; chocolates, 1,4%; bicicletas, 0,8%, e brinquedos em geral, 0,5%. Em contrapartida, livros e bilhetes de cinema tiveram variações acima da média, da ordem de 26,8% e 14,3%, respectivamente.

Lojistas cariocas

Entre os 500 lojistas cariocas dos ramos de brinquedos, roupas, calçados, eletrônicos e artigos esportivos ouvidos pelo Centro de Estudos do Clube dos Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio), a estimativa é que as vendas para o Dia das Crianças deverão crescer 2% em comparação ao ano passado.

De acordo com a pesquisa, 79% dos lojistas esperam crescimento nas vendas. Brinquedos (34,5%), roupas (23,6%), calçados incluindo tênis (10,9%), mochilas e acessórios (9,1%), jogos eletrônicos (8,2%), artigos esportivos (6,5%), ‘tablet’, ‘iphone’, celulares (4,5%) e livros (2,7%) deverão ser os presentes mais procurados, indica o CDL Rio.

O preço médio dos presentes por pessoa deverá variar entre R$ 50,00 e R$ 100,00. O cartão de crédito parcelado deverá utilizado por 80% dos clientes como forma de pagamento, informou o CDL Rio. Na avaliação do presidente da entidade, Aldo Gonçalves, a estimativa moderada de vendas do comércio para o Dia das Crianças considera que as datas comemorativas anteriores (como Dia das Mães, dos Pais e dos Namorados) não alcançaram as expectativas dos lojistas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

"A luz da ciência chegando via Butantan e Fiocruz!", diz Mandetta nas redes sociais
Denúncia anônima pelo 181 da PM ajuda no combate de crimes
Enfermeira que tomou 1ª dose de vacina no Brasil pede para população não ter medo
Empreendedora de turismo investe na agricultura familiar e resolve divulgar produção no Manucã
Mato Grosso do Sul recebe 97 mil doses de vacina contra Covid-19
Povo das Águas atende ribeirinhos da parte alta do rio Paraguai a partir do dia 19
Em depressão, mulher enforca filha de três anos até a morte e se mata
Após aprovação pela Anvisa, Corumbá aguarda a chegada das doses da vacina contra a Covid-19
Coronavac chega às 10h em Campo Grande com reforço: são 158.766 doses
Jovem de 21 anos é assassinado a tiros em Corumbá