Menu
Busca domingo, 24 de janeiro de 2021
(67) 99820-0742

PF, MPF e CGU investigam contratos de saúde em municípios do Rio

24 novembro 2020 - 17h30Por Agencia Brasil

A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF), em conjunto com a Controladoria Geral da União (CGU), deflagraram hoje (24) a Operação Octopus para investigar contratos de saúde em cinco municípios da Região dos Lagos, no estado do Rio de Janeiro. Segundo a PF, os contratos sob investigação se aproximam de R$ 30 milhões.

A ação conta com a participação de 41 agentes públicos da PF, MPF e CGU que cumprem dez mandados de busca e apreensão nas prefeituras e Secretarias Municipais de Saúde de Búzios, Araruama, São Pedro da Aldeia, Saquarema e Iguaba Grande.

As investigações partiram do compartilhamento de informações da Operação Scepticus, na qual se apurou fraude na aplicação de recursos do Fundo Municipal de Saúde nos municípios de Carapebus e Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

Segundo a PF, os indícios apontam que o mesmo esquema criminoso pode estar sendo replicado nas cidades da Região dos Lagos, com vasto prejuízo aos cofres públicos. São alvos da investigação pelo menos sete contratações com as empresas envolvidas.

Dentre as suspeitas de fraude verificadas estão a escolha de empresas com sede em endereços residenciais, sem empregados e bens.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Usuários da MS-306 contam com atendimentos gratuitos, de socorro mecânico a combate a incêndios
Renave é garantia de segurança e credibilidade nas transações comerciais, diz diretor
Denúncia anônima pelo 181 da PM ajuda no combate de crimes
Antes de morrer, Silas avisou esposa que fez última entrega e retornava para casa
Motorista dorme no volante, bate em carro estacionado na MS-134 e dois ficam feridos
Com previsão de chegada no domingo, MS vai receber 22 mil doses da vacina da Índia
Fusca tunado com material reciclável é fonte de renda para família em Campo Grande
Acusado de 'tirar a infância' da afilhada com abusos, professor vai para presídio de Aquidauana
Mesmo com vacina, Brasil registra 1.202 mortes por covid em 24 horas
Professor acusado de abusar de afilhada e irmã é preso em Aquidauana