Menu
Busca segunda, 26 de outubro de 2020
(67) 99820-0742

Grupo Acaba inspira enredo e Deixa Falar quer levar Pantanal para a avenida

16 fevereiro 2017 - 14h30

A contagem regressiva para os desfiles das Escolas de Samba de Campo Grande está a pleno vapor, com a proximidade do evento nos dias 27 e 28 de fevereiro. A Deixa Falar é uma das 9 escolas que desfilará, e para 2017 escolheu homenagear o Grupo Acaba, um dos ícones musicais de Mato Grosso do Sul, que canta sobre o Pantanal.

O enredo "Tem Cheiro de Camalote, Tem Gosto de Tarumã" falará justamente sobre "as dores" do nosso bioma, pela ótica das obras do Acaba, segundo o carnavalesco Fabian, responsável pela produção da escola. O Carnaval de Campo Grande vai acontecer nos dias 27 e 28 de fevereiro. O desfile se realiza na Avenida Alfredo Scaff, em frente à Praça do Papa. 

Fabian diz que a produção é totalmente artesanal e as fantasias são extremamente minuciosas, conforme a reportagem do MidiaMAIS pôde conferir no barracão da Deixa Falar, localizado na Vila Nasser. "Nosso enredo homenageia esse grupo de extrema importância para a nossa cultura, eles são de uma riqueza cultural muito grande. São considerados os 'canta dores' do Pantanal, são defensores da fauna, flora, dos costumes e da natureza", descreve. 

Enredo

O samba-enredo da Deixa Falar segue a métrica "Rios, Nascentes e Vertentes", no processo visual e musical que vai para a avenida. Por isso, as fantasias terão muitos tons de verde, azul e branco, para representar os rios, principalmente o Mar de Xaraés. Segundo informações da escola, serão 420 integrantes a pisar na Avenida Alfredo Scaff. Na produção das fantasias e carros alegóricos, estão envolvidas de 26 a 27 pessoas diariamente. 

A Prefeitura Municipal não irá designar nenhuma verba para o Carnaval de Campo Grande este ano, apenas a estrutura para o desfile, e as escolas ainda não receberam do Governo, que prometeu R$ 250 mil porém, por uma questão burocrática, ainda não foi pago. Por isso, segundo Fabian, a escola está "dando um jeito" de fazer bonito na avenida, realizando eventos para custear parte da mão de obra e materiais que precisam ser comprados, e reciclando muita coisa que foi usada em outros momentos. "Enxugamos muito o desfile e estamos lutando para que fique maravilhoso, com criatividade", analisa.    (Midiamax)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul reduz índices de violência durante pandemia
Motorista morre ao cair em córrego e ter caminhonete crivada de balas em Campo Grande
Seguindo os passos do avô, piloto da PM tem orgulho em servir a sociedade
Candidato a prefeito diz à polícia que carro foi 'peneirado' de tiros
Ladrão é preso minutos depois de cometer assalto no Universitário
Homem é espancado a pauladas e abandonado à própria sorte em Três Lagoas
Acidente entre carro e carreta deixa três mortos na BR-262
Presidente da Samsung morre aos 78 anos
Homem leva golpes de facão na cabeça em Dourados
Anvisa autoriza importação de 6 milhões de doses da CoronaVac