Menu
Busca terça, 29 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Em Mato Grosso do Sul, 70% das mulheres presas são negras, diz estudo

06 novembro 2015 - 17h31

Estudo inédito coordenado pelo Depen (Departamento Penitenciário Nacional), do Ministério da Justiça, revela que 70% das mulheres presas em Mato Grosso do Sul são negras, enquanto apenas 28% são brancas e 1% é indígena. Baseado nos dados do Infopen (Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias), mostra, entre outras coisas, a evolução do número do público feminino privado de liberdade.
Mato Grosso do Sul apresentou uma das menores variações na população carcerária de mulheres, que teve aumento de 26% nos últimos oito anos. Nesse mesmo período, a quantia de homens presos aumentou 56%.

A variação brasileira foi de 96% de aumento. Mato Grosso e Paraná foram as únicas unidades federativas que tiveram queda, de 29% e 43%, respectivamente.

Em junho de 2014, conforme o Ministério da Justiça, as mulheres correspondiam a 8,7 da população carcerária do estado. Nessa época, Mato Grosso do Sul contava com 12 presídios femininos e 31 masculinos.

A maioria das presas são jovens. Conforme o relatório, 28% têm entre 18 e 24 anos, enquanto 23% têm entre 35 e 45 anos. O percentual de mulheres na cadeia com idades entre 25 e 29 anos é de 19% e de 30 a 34 anos é de 18%.

Em nível nacional, a população penitenciária feminina subiu de 5.601 para 37.380 detentas entre 2000 e 2014, um crescimento de 567% em 15 anos. A taxa é superior ao crescimento geral da população penitenciária, que teve aumento de 119% no mesmo período. Na comparação entre diferentes países, o Brasil apresenta a quinta maior população carcerária feminina do mundo, atrás apenas de Estados Unidos (205.400 detentas), China (103.766) Rússia (53.304) e Tailândia (44.751).

Do total de unidades prisionais do País (1.420), apenas 103 são exclusivamente femininos, enquanto 1.070 são masculinos e 239 são considerados mistos (abrigam homens e mulheres).

O Infopen Mulheres foi lançado hoje como primeira meta da Política Nacional de Atenção às Mulheres em Situação de Privação de Liberdade e Egressas do Sistema Prisional.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Renda Cidadã: Bolsonaro nega desejar reeleição e diz estar aberto a sugestões
PF detém secretários de Barbalho por suspeita de desvios na Saúde
Homem morre durante visita a academia no Aero Rancho
Ipea: renda dos mais pobres foi 32% maior que o habitual em agosto
Corpo é encontrado às margens da MS-160
Combate às queimadas no Pantanal ganha reforço de 120 brigadistas e bombeiros
Familiares de gêmeos mortos com 13 tiros são ouvidos e polícia procura por assassinos
Em Coronel Sapucaia, obras de recapeamento vão custar R$ 2,2 milhões
Com ressalvas, deputados aprovam mudanças no plano de aplicação dos recursos do Fundersul
Fogo se alastra em reserva no Pantanal, moradora corre e consegue salvar galinhas