Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
(67) 99820-0742
Set

Avó não acredita e ameaça matar adolescente que denunciou 7 anos de estupro

06 junho 2016 - 23h01

Depois de sete anos de abusos constantes por parte dos tios, uma adolescente, de 15 anos resolveu procurar ajuda na última sexta-feira (4) no Conselho Tutelar, de Campo Grande. A adolescente teria pedido ajuda para avó, que não acreditou na história e ainda teria dito que se aconteceu foi por que a jovem quis.

Uma amiga próxima a família, que não quis se identificar, contou ao Jornal Midiamax, que os abusos começaram na infância, quando a adolescente tinha 8 anos. Segundo relatos, a mãe teria entregado a jovem ao pai logo que ela nasceu não tendo mais contato com a filha.

O pai da menina por sua vez entregou a criança para a avó, com quem foi criada. A história de abusos, agressões e torturas psicológicas terminaram no dia 4 de junho quando a menina procurou o Conselho Tutelar. Os primeiros abusos aconteceram na infância por um tio que já morreu.

“Depois que este tio morreu, outro tio que é paraguaio começou a estuprar a menina”. Fala a mulher. Ainda de acordo com a amiga da família a adolescente teria dito que já havia contado sobre os abusos para várias pessoas da família, mas que ninguém a teria ajudado, e apenas a avó ainda não sabia do caso.

“Ela sempre foi agredida pela avó e pelo pai, que hoje mora em Rio Verde. Como ela se parece muito com a mãe, eles descontavam toda raiva na menina”, diz. Quando a bisavó morreu há três meses, o tio veio para a Capital e foi quando a adolescente foi estuprada novamente.

Ainda segundo relatos, desta vez com raiva dos abusos a jovem teria de posse de uma tesoura picado o dinheiro do tio, o que resultou em novas agressões. Foi neste dia que a adolescente resolveu contar para a avó o que acontecia.

Em reposta, a menina ouviu que se aconteceu foi por que ela quis e que não acreditava na história contada por ela. Ainda de acordo com informações, a avó da menina teria descoberto que ela estava namorando, foi quando a adolescente foi agredida com cabo de vassoura nas costas, além de agressões no rosto. 

“Depois disso ela veio me procurar e no último dia 2 de junho disse para ela procurar a polícia, mas ela estava com muito medo de que a polícia achasse que a culpa era dela e que a levassem de volta para a casa da avó”. Explica. Já na última sexta-feira (4), a adolescente procurou o Conselho Tutelar de Campo Grande e desde então encontra-se em um abrigo longe do convívio familiar.

Ainda de acordo com a mulher, a avó da menina teria dito que se ela estivesse em casa a teria matado por denunciar a família. O caso agora deve ser investigado pela Depca (Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente). 

Via: Midia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

Bebê é achado morto em quarto de hotel; pais estão detidos
Em Dourados, médicos têm salários reduzidos durante a pandemia
PF faz novas buscas na casa de jornalista bolsonarista preso em Campo Grande
Portador de Alzheimer, Luiz desapareceu na Piratininga e filho pede ajuda para encontrá-lo
Infectada pela covid, mãe morre no parto e bebê sobrevive em Dourados
PMs flagram homem carregando cabeça decepada em SP
Corpo achado no Rio Paraguai segue sem identidade nem procura de familiares
Brasil tem mais 1.290 falecimentos por causa da covid-19
Com 16 mortes em 24h, MS vai a 107 óbitos por coronavírus e 9.388 doentes
Saúde compra 20 mil exames para diagnóstico de coronavírus pelo valor de R$ 377 mil