Menu
Busca terça, 17 de setembro de 2019
(67) 99820-0742
Set

Médicos da Central de Regulação entram em greve e apenas urgência é atendida

06 junho 2016 - 23h08

Os médicos municipais que atuam na CERA (Central Estadual de Regulação) entraram de greve nesta segunda-feira (06) por tempo indeterminado. Segundo o SinmedMS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul), eles estão sem receber há dois meses.  

"Até o momento, nenhuma resposta foi enviada ao SinMed pela Sesau ao ofício encaminhado no dia 18/05 questionando o motivo do atraso e solicitando informações sobre a respectiva regularização do pagamento dos plantões", revelou o Diretor de Comunicação Social, Jornalismo e Marketing do SINMED/MS, Renato Figueiredo.

Segundo Sinmed/MS, a categoria mantém 30% do atendimento de urgência, conforme determinado por lei.

A paralisação foi decidida de forma unânime durante assembleia, realizada no dia 23 de maio na Central Estadual de Regulação. A categoria informou ainda que vem tentado resolver a questão junto à Prefeitura, porém até o momento não recebeu respostas sobre o atraso.

A Prefeitura informou que o pagamento será feito nos próximos dias. A falta de pagamento dos plantões de março e abril foi devido, segundo prefeitura, atraso no repasse do Governo. 

Via: Midia Max

Deixe seu Comentário

TECNODENTAL
Set 2

Leia Também

Bolsonaro tem alta e deixa hospital em São Paulo
WWF-Brasil lança concurso de fotografia para destacar as belezas naturais do Pantanal e da bacia do Alto Paraguai
Violência por dizer “não” ao ex-namorado fez Ana largar tudo e sair pelo mundo
Dica da semana: "O Homem que Viu o Infinito"
MS registrou 2.070 focos de calor em setembro, segundo dados do Inpe
Em 12 horas, queimadas destruíram 200 hectares em Bodoquena
Sem poder doar medula para Calebe, mãe quer alguém compatível para livrar seu filho da leucemia
Mato Grosso do Sul é o segundo no País com mais abates de bovinos
Homem leva mordida de cão, exige desculpas do vizinho e denuncia crime em MS: 'Coloca vinagre que é bom'
Marido quer que mulher aborte bebê só porque é uma menina