Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Mais de 17% da população de Mato Grosso do Sul é fumante; Estado tem o terceiro maior índice do país

29 agosto 2016 - 15h54

Responsável por mais de 50 enfermidades cardiovasculares e respiratórias crônicas, o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo mundo. O cigarro está relacionado ainda a mais de 60% dos óbitos associados a doenças não transmissíveis, conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Em Mato Grosso do Sul, 17,8% da população, acima de 18 anos, é fumante, segundo  Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) realizada em 2014.

A proporção de quase 18%, maior que o percentual total do país (14,7%), faz Mato Grosso do Sul ocupar a terceira posição entre os estados brasileiros, ficando atrás apenas do Acre (18,8%) e Paraná (18,1%).  No entanto, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que o número de fumantes está diminuindo em Mato Grosso do Sul e no restante do país.

Apesar dos fumantes serem menores com o passar dos anos, alguns dados ainda preocupam.  A estimativa  da  Organização Pan-Americana da Saúde aponta que em 2030 o tabaco matará aproximadamente 8 milhões de pessoas por ano, sendo que 80% dessas mortes ocorrerão em países de desenvolvimento, como o Brasil.

Hoje, 30% das mortes por câncer de boca, 90% das mortes por câncer de pulmão, 25% das mortes por doenças de coração, 85% dos óbitos por bronquite e enfisema e 25% das mortes por derrame cerebral são causadas pelo tabagismo, segundo a OMS.  São mais de cinco milhões de mortes no mundo associadas ao cigarro, 200 mil só no Brasil.

Para o Sistema Único de Saúde (SUS), o custo total atribuído ao tabagismo é de quase 21 milhões que se referem, além da assistência médica, à perda de produtividade e morte prematura. Doenças cardíacas, doenças pulmonares crônicas, câncer de pulmão e Acidente Vascular Cerebral (AVC) são responsáveis por 83% desses gastos atribuíveis ao tabaco.

De acordo com orientações médicas, o cigarro pode causar impotência sexual no homem, complicações na gravidez, aneurismas arteriais, infecções e doenças respiratórias, úlcera do aparelho digestivo, trombose vascular, entre outras doenças graves.

Dia de Combate ao Fumo

Nesta segunda-feira (29), comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Fumo, instituído com o objetivo de conscientizar e mobilizar a população sobre os riscos decorrentes do uso do cigarro.

Em 2016, o  slogan da campanha de Combate ao Fumo  do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), órgão do Ministério da Saúde responsável pelo Programa Nacional de Controle do Tabagismo, será #MostreAtitude.  A intenção é aproveitar o momento de valorização do esporte , por causa das Olimpíadas, para estimular a atividade física que, consequentemente, leva os praticantes ao abandono do cigarro.

 

Fonte: Notícias Ms 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Incerteza da economia cai pelo quinto mês consecutivo, diz FGV
Covid-19: 87% dos moradores de favelas conhecem alguém que adoeceu
Primeiro paciente curado de HIV morre após reincidência de câncer
Covid-19: Ganso testa positivo e Fluminense chega a dez contaminados
Ministros da Agricultura e Meio Ambiente confirmam ida ao Pantanal
IBGE: taxa de desocupação fica em 13,8% no trimestre de maio a julho
Em outubro, Saúde disponibiliza exame preventivo em horário noturno
Justiça suspende decisão do Conama que revogou resoluções ambientais
Polícia Militar de Corumbá prende homem foragido da justiça durante rondas
Ao contrário do esperado, fronteira teve apenas alguns pontos reabertos