Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Ladário Intensifica vacinação para combater a febre amarela

19 janeiro 2017 - 12h03

Com o surgimento de quase 200 casos suspeitos de febre amarela Silvestre, em 29 municípios de Minas gerais, onde já pode ter matado 47 pessoas, a Secretaria Municipal de Saúde de Ladário está intensificando a vacinação contra a doença. O prefeito Carlos Ruso está em Campo Grande, onde manteve nesta terça-feira, encontros na Secretaria Estadual de Saúde, para solicitar ao Governo do Estado, investimentos que garantam a total cobertura vacinal da população.

O município tem salas de vacinas funcionando pela manhã e à tarde em três Unidades Básicas de Saúde, que atendem de 07 às 11 horas da manhã e de 01 às 05 horas da tarde. O posto João Fernandes, fica no Alta Floresta; o Érico Valle, está situado no bairro Seac; e a Policlínica, no centro da cidade. “Estamos prontos para atender a nossa gente e buscado ainda mais recursos para garantir saúde ao nosso povo”, disse Ruso.

Simone Fernandes, gerente de atenção em saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, disse que, “Ladário nunca teve um caso de febre amarela, registrado, mas é importante que a população se imunize para continuar mantendo o índice zero”. Pessoas que têm entre 9 meses e 59 anos, devem tomar a vacina. Normalmente é aplicada uma dose aos 9 meses e um reforço aos 4 anos. Quem não tem histórico de ter tomando a vacina, precisa ser imunizado e depois de 10 anos recebe a dose de reforço.

A maior preocupação é que a febre amarela é transmitida por um mosquito bastante conhecido dos pantaneiros, o Aedes Aegypti, também responsável pela transmissão da dengue e da febre Chikungunya. Outro fator que põe a região em alerta, é que Mato Grosso do Sul, além de ser endêmico, ainda tem grande trânsito de pessoas circulando entre o Estado e Minas Gerais.

A febre amarela ocorre nas Américas do Sul e Central, além de alguns países da África. Nas cidades mineiras, a doença está sendo disseminada pelo mosquito Haemagogus, espécie que não é detectada na região pantaneira. Entretanto, a transmissão urbana da febre amarela é feita pelo Aedes que pode ser infectado por uma pessoa doente.

As melhores formas de prevenção, segundo a Secretaria de Saúde, é evitar os criadouros do mosquito e tomar a vacina. A febre amarela é considerada aguda e hemorrágica. Ela recebe esse nome porque causa amarelidão no corpo do paciente, por isso, é chamada de hicterícia. Ela também causa hemorragias em diversos graus e pode levar o paciente à morte, embora a maioria das pessoas que a contraem, evoluam para a cura.

Paralelamente à vacinação, a Secretaria de Saúde de Ladário está fazendo um trabalho de conscientização. Agentes de endemias estão visitando os moradores e alertando para o lixo nos quintais, principalmente aqueles que acumulam água e podem servir de criadouro do mosquito.

Os agentes também estão fazendo borrifação de inseticida para controlar a população do mosquito Aedes Aegypti, mas o veneno só pode ser usado em áreas onde for detectada alguma possibilidade de existirem casos da doença. A borrifação foi deflagrada no Santo Antônio, região sul de Ladário, onde existe uma suspeita de dengue e, no centro, onde uma pessoa é suspeita de ter com traído a febre Chikungunya. O sangue desses pacientes foi coletado e enviado para exames fora da cidade. Ainda não há confirmação se elas contraíram mesmo essas doenças.

“Temos que estar juntos nessa luta para vencer o mosquito. Por isso, eu conclamo todos os moradores de Ladário para que cuidem de suas casas e descartem todo tipo de material que possa servir de criadouro do mosquito”, enfatizou o prefeito Ruso. Ele determinou às secretarias de Saúde e Infraestrutura, que deflagrem ações para combater de forma sistêmica e eficaz qualquer tipo de doença que possa por em risco a saúde dos ladarenses, em especial as transmitidas pelos mosquitos, cuja população cresce nesse período de chuvas. (Assessoria de Comunicação e Imprensa – PML)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde atualiza novamente procedimentos para aborto no SUS
Libertadores: Líder do Grupo G, Santos enfrenta o Delfín no Equador
Justiça autoriza retorno das aulas no Colégio Militar do Rio
Projeção de crescimento do crédito em 2020 sobe para 11,5%
Araújo diz que declarações de Pompeo foram alvo de má tradução
Salles inspeciona áreas em Mato Grosso atingidas pelo fogo
Operação Covid-19 mobilizou quase 30 mil militares em seis meses
MP e Volkswagen firmam acordo para reparar violações no regime militar
CIEE lança programa para capacitar estudantes do ensino médio
Senador conquista R$ 38 milhões da União para MS