Menu
Busca terça, 29 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Índice de infestação do Aedes é de 0,70% na cidade, aponta levantamento

14 julho 2016 - 13h30

O índice de infestação do mosquito Aedes aegypti na área urbana de Corumbá é de 0,70%, abaixo do aceitável pelo Ministério da Saúde e também pela Organização Mundial de Saúde, que é de até 1%. É o que apontou levantamento realizado pelas equipes do Centro de Controle de Vetores (CCV) da Secretaria de Saúde da Prefeitura, no período de 04 a 08 de julho.

 

Este foi o terceiro Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) realizado no ano. No primeiro, em janeiro, o índice de infestação do Aedes aegypti, mosquito que transmite a dengue, chikungunya e zika vírus, foi de 4,99%. O segundo levantamento foi em abril e a incidência atingiu 3,30% na cidade.

 

Dessa vez, o índice está abaixo do tolerável, mas três bairros estão merecendo atenção especial por parte das equipes da Secretaria de Saúde: Popular Velha, que registou incidência de 4,60%; Guató, com 2,35%, e Maria Leite, com 1,83%. Todos estão acima do tolerável e os focos foram encontrados em depósitos de armazenamento de água baixo (nível de solo), a exemplo do que ocorreu na Nova Corumbá (0,88%) e Cristo Redentor (0,69%).

 

O levantamento apontou foco também no Centro I (da Rua Antônio Maria Coelho à Edu Rocha), 0,44%. Na região, as larvas foram localizadas em depósitos fixos (calha, laje, etc).

 

Nesse terceiro LIRAa do ano não foram encontrados focos nos bairros Previsul, Popular Nova, Centro América, Aeroporto, Jardim dos Estados, Universitário, Arthur Marinho, Cervejaria, Dom Bosco, Generoso, Beira Rio, Industrial, Nossa Senhora de Fátima, Guarani e Centro II (da Antônio Maria Coelho até a Albuquerque).

 

Fonte: PMC

Deixe seu Comentário

Leia Também

Renda Cidadã: Bolsonaro nega desejar reeleição e diz estar aberto a sugestões
PF detém secretários de Barbalho por suspeita de desvios na Saúde
Homem morre durante visita a academia no Aero Rancho
Ipea: renda dos mais pobres foi 32% maior que o habitual em agosto
Corpo é encontrado às margens da MS-160
Combate às queimadas no Pantanal ganha reforço de 120 brigadistas e bombeiros
Familiares de gêmeos mortos com 13 tiros são ouvidos e polícia procura por assassinos
Em Coronel Sapucaia, obras de recapeamento vão custar R$ 2,2 milhões
Com ressalvas, deputados aprovam mudanças no plano de aplicação dos recursos do Fundersul
Fogo se alastra em reserva no Pantanal, moradora corre e consegue salvar galinhas