Menu
Busca sexta, 27 de novembro de 2020
(67) 99820-0742

Índice de infestação do Aedes atinge 1,90% em Corumbá, aponta LIRAa

03 novembro 2016 - 13h31

Corumbá está com índice de infestação pelo mosquito Aedes aegypti de 1,90%, acima do aceitável pela Organização Mundial de Saúde que é de até 1%. Foi o que apontou o último Levantamento do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa), realizado no período de 24 e 27 de outubro em 19 bairros da cidade, além da área central que é dividida em duas regiões.

O resultado foi incorporado ao LIRAa Nacional juntamente com os de outras cidades brasileiras que realizam esse trabalho para levantar o índice de infestação do Aedes aegypti, transmissor da zika vírus, febre chikungunya, dengue (1, 2, 3 e 4), além da febre amarela. 

O levantamento foi feito pelos agentes de endemias que trabalham na rotina de visita conforme o Programa Nacional de Controle da Dengue e Febre Amarela, acompanhados pelos cinco supervisores de área, respeitando a regra de sorteio dos imóveis previsto no programa do Ministério da Saúde.

O LIRAa apontou ainda que 62,86% dos focos do Aedes foram encontrados em depósitos de água localizados ao nível de solo, 20% em pequenos depósitos móveis e 14,29 depósitos fixos.

O bairro com maior incidência de infestação foi o Previsul com 6,25% (100% em depósito de água a nível de solo), seguido da Popular Velha com 5,95% (100% em depósito de água nível de solo); Maria Leite com 4,27% (60% em depósito de água nível de solo, 20% em pequenos depósitos móveis e 20% em depósitos fixos)

Outros bairros com índices acima do aceitável são o Centro América com 3,77% (66,67% em depósito de água nível de solo, 33,33% em pequenos depósitos móveis); Universitário com 3,45% (50% em pequenos depósitos móveis, e 50% lixo); Nossa Senhora de Fátima com 2,86% (100% em depósito de água nível de solo).

Foram encontrados focos também no Guató, 2,67% (50% em depósito de água nível de solo, 25% em pequenos depósitos móveis e 25% em depósitos fixos); Cristo Redentor com 2,15% (50% em depósito de água nível de solo, 50% em pequenos depósitos móveis); Nova Corumbá com 1,75% (100% em depósito de água nível de solo).

O Jardim dos Estados está com 1,33% (100% em depósito de água nível de solo); Popular Nova com 1,32% (100% em depósito de água nível de solo); Centro II com 1,29% (50% em depósito de água nível de solo, e 50% em pequenos depósitos móveis).

Já o Aeroporto está com 0,83%, abaixo do aceitável (100% em pequenos depósitos), assim como o Centro I que ficou com 0,53%, sendo 100% em depósitos fixos). Nos bairros Generoso, Beira Rio, Industrial, Dom Bosco, Arthur Marinho, Cervejaria e Guarani não foram encontrados focos do mosquito.

Quinto ciclo

Este foi o quinto ciclo do LIRAa realizado em Corumbá. O índice registrado agora ficou abaixo do levantamento realizado no final de agosto que apontou infestação de 2,10% da cidade. Na época, o bairro com maior incidência foi o Guató com 8,75%, seguido do Jardim dos Estados com 4,17%, Previsul com 4,00%, Popular Velha com 3,57%, Aeroporto com  3,53%, Cristo Redentor  com 2,59%, Centro América com 2,56%, Nova Corumbá com 2,56, Centro II com 1,76 % e Popular Nova com 1,43%.

 

Fonte: ASCOM PMC

Deixe seu Comentário

Leia Também

Com artesanatos produzidos por reeducandos, 12ª Feira do Artesão Livre “Especial de Natal’ será em formato virtual pelo WhatsApp
PF cumpre mandados de busca contra exploração sexual de crianças
SES realiza webinário sobre ‘Febre Amarela: Humana, Animal e Imunização’
PF deflagra nova fase da Lava Jato; alvo é ex-funcionário da Petrobras
Capacitações devem atingir mais de 4 mil profissionais da assistência social em MS
Corpo de Maradona é velado no palácio presidencial da Argentina
Indígenas de MS começam ser contratados para colheita da maçã
Polícia prende dois por suspeita de crimes eleitorais no Rio
Operação Pátio Zero: mais de 400 motocicletas estão disponíveis em leilão de sucata aproveitável
2ª alta em novembro: preço da gasolina sobre 4% nesta quinta-feira