Menu
Busca terça, 17 de setembro de 2019
(67) 99820-0742
Set

Em apenas uma semana, notificações de sarampo cresceram 35% em MS

12 setembro 2019 - 08h00Por Da Redação

Em uma semana, aumentou de 31 para 42 os casos suspeitos de sarampo em Mato Grosso do Sul, crescimento de 35%. Desse total, 10 estão sob investigação, número que mais que dobrou em relação ao boletim anterior, no qual apareciam quatro casos sobre investigação.

O número de registros da doença confirmados é de dois, um em Campo Grande e outro em Três Lagoas, vizinha a São Paulo, a 338 quilômetros de Campo Grande. As duas vítimas da doença, um bebê de 10 meses e um homem de 52 anos, haviam viajado para o estado vizinho recentemente e por isso o contágio ocorreu lá. Dessa forma, são considerados “importados”.

Houve ainda um terceiro paciente com sarampo, um médico que não mora aqui e veio para visitar os parentes, mas o caso dele foi notificado para o estado de São Paulo. O número de casos de sarampo por lá cresceu 20% em uma semana, somando 3.519 notificações entre janeiro e setembro deste ano.

Estava erradicado – A Secretaria de Saúde afirma que todas as pessoas que apresentação a doença estavam em São Paulo no período de contágio, ou seja, o vírus não circulou por aqui. O último caso de sarampo registrado em Mato Grosso do Sul foi em 2011, envolvendo uma turista francesa.

Em 2015, o Brasil havia registrado o último caso da doença, no Ceará. O país chegou a ganhar, em 2016, o certificado de eliminação do sarampo. Em fevereiro de 2018, porém, começaram os casos importados da doença, registrados na Venezuela e que chegaram a Roraima.

A recomendação é que quem não se vacinou, procure um unidade de saúde pública ou a rede particular. Na rede pública, o foco são as crianças de seis meses até dois anos incompletos. Nos pequenos, a doença é mais perigosa.

Deixe seu Comentário

Set 2
TECNODENTAL

Leia Também

Bolsonaro tem alta e deixa hospital em São Paulo
WWF-Brasil lança concurso de fotografia para destacar as belezas naturais do Pantanal e da bacia do Alto Paraguai
Violência por dizer “não” ao ex-namorado fez Ana largar tudo e sair pelo mundo
Dica da semana: "O Homem que Viu o Infinito"
MS registrou 2.070 focos de calor em setembro, segundo dados do Inpe
Em 12 horas, queimadas destruíram 200 hectares em Bodoquena
Sem poder doar medula para Calebe, mãe quer alguém compatível para livrar seu filho da leucemia
Mato Grosso do Sul é o segundo no País com mais abates de bovinos
Homem leva mordida de cão, exige desculpas do vizinho e denuncia crime em MS: 'Coloca vinagre que é bom'
Marido quer que mulher aborte bebê só porque é uma menina