Menu
Busca sexta, 25 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Secretaria Especial vai coordenar ações voltadas às famílias mais carentes de Corumbá

15 fevereiro 2017 - 11h26

O fortalecimento da proteção de direitos humanos sob as perspectivas de gênero, raça e diversidade sexual simboliza a esfera da representatividade da Secretaria Especial de Cidadania e Direitos Humanos no município, pasta implantada na gestão do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira e comandada pela primeira-dama, Beatriz Rosália Ribeiro Cavassa de Oliveira.

 

Beatriz é formada em Pedagogia e pós-graduada em Metodologia do Ensino, foi secretária de Integração de Políticas Sociais em Corumbá de 2005 à 2012, onde encabeçou projetos importantes para a cidade como o Povo das Águas; Se Essa Rua Fosse Minha; Prefeito Presente e Casamento Civil Comunitário. Em 2013 foi cedida ao município de Ladário onde ocupou, por dois anos, o cargo de Superintendente de Projetos Sociais e em 2016 foi Secretária Especial de Políticas Públicas, Sociais e Cidadania.

 

O principal desafio da nova Secretaria Especial é implementar, promover e assegurar os direitos humanos em Corumbá. “A proposta é de darmos continuidade aos projetos implantados na primeira gestão do prefeito Ruiter, além de incluirmos políticas públicas voltadas à mulher, à igualdade racial, à juventude, à diversidade sexual, enfim, serviços voltados às pessoas que de alguma forma, tenham seus direitos excluídos. Estamos aqui para promover e garantir os direitos do cidadão corumbaense”, afirmou.

 

O primeiro grande passo nesse sentido foi dado no começo deste mês, quando a Prefeitura promoveu o primeiro encontro da Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. “São 52 duas instituições envolvidas com esse tema, que é de extrema importância. Essa rede precisa estar ativa e integrada”, reforçou a secretária especial. O encontro contou com a participação da professora doutora Cláudia Araújo, da UFMS.

 

A estrutura administrativa formulada para a instituição conta com uma equipe de acolhimento, composta por recepcionista e motorista, e equipe técnica formada por pedagogos, assistentes sociais e psicólogos. De acordo com a primeira-dama, além de assistir a comunidade, a Secretaria ainda executará os programas Povo das Águas, Casamento Civil Comunitário, Se essa Rua Fosse Minha e Prefeito Presente.

 

Outros programas, planos e ações incluem a Junta Militar e o Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM).  O atendimento é diferenciado de acordo com o tipo de violação sofrida e/ou de acordo com o tipo de intervenção requerida.  (Assessoria de Comunicação PMC)

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGU cobra na Justiça R$ 893 milhões de desmatadores da Amazônia
Ocupação de UTIs tem risco baixo em 17 estados e crítico no Rio e GO
Focos de calor no Tocantins seguem padrão do clima, diz Defesa Civil
SP fecha último hospital de campanha para tratamento de covid-19
Intenção de consumo das famílias volta a crescer após cinco quedas
SP subsidia compra de computador para professor da rede estadual
Intenção de consumo das famílias volta a crescer após cinco quedas
São Paulo anuncia ampliação de testes da fase 3 da vacina CoronaVac
Lei prorroga incentivo fiscal para exportadores durante pandemia
Polícia do Rio desarticula grupo que aplicava golpe da casa própria