Menu
Busca quarta, 02 de dezembro de 2020
(67) 99820-0742

Secretaria Especial vai coordenar ações voltadas às famílias mais carentes de Corumbá

15 fevereiro 2017 - 11h26

O fortalecimento da proteção de direitos humanos sob as perspectivas de gênero, raça e diversidade sexual simboliza a esfera da representatividade da Secretaria Especial de Cidadania e Direitos Humanos no município, pasta implantada na gestão do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira e comandada pela primeira-dama, Beatriz Rosália Ribeiro Cavassa de Oliveira.

 

Beatriz é formada em Pedagogia e pós-graduada em Metodologia do Ensino, foi secretária de Integração de Políticas Sociais em Corumbá de 2005 à 2012, onde encabeçou projetos importantes para a cidade como o Povo das Águas; Se Essa Rua Fosse Minha; Prefeito Presente e Casamento Civil Comunitário. Em 2013 foi cedida ao município de Ladário onde ocupou, por dois anos, o cargo de Superintendente de Projetos Sociais e em 2016 foi Secretária Especial de Políticas Públicas, Sociais e Cidadania.

 

O principal desafio da nova Secretaria Especial é implementar, promover e assegurar os direitos humanos em Corumbá. “A proposta é de darmos continuidade aos projetos implantados na primeira gestão do prefeito Ruiter, além de incluirmos políticas públicas voltadas à mulher, à igualdade racial, à juventude, à diversidade sexual, enfim, serviços voltados às pessoas que de alguma forma, tenham seus direitos excluídos. Estamos aqui para promover e garantir os direitos do cidadão corumbaense”, afirmou.

 

O primeiro grande passo nesse sentido foi dado no começo deste mês, quando a Prefeitura promoveu o primeiro encontro da Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. “São 52 duas instituições envolvidas com esse tema, que é de extrema importância. Essa rede precisa estar ativa e integrada”, reforçou a secretária especial. O encontro contou com a participação da professora doutora Cláudia Araújo, da UFMS.

 

A estrutura administrativa formulada para a instituição conta com uma equipe de acolhimento, composta por recepcionista e motorista, e equipe técnica formada por pedagogos, assistentes sociais e psicólogos. De acordo com a primeira-dama, além de assistir a comunidade, a Secretaria ainda executará os programas Povo das Águas, Casamento Civil Comunitário, Se essa Rua Fosse Minha e Prefeito Presente.

 

Outros programas, planos e ações incluem a Junta Militar e o Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM).  O atendimento é diferenciado de acordo com o tipo de violação sofrida e/ou de acordo com o tipo de intervenção requerida.  (Assessoria de Comunicação PMC)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul busca parceria do BRB para ampliar linhas de financiamento
Polícia Civil aguarda laudo de corpo de jovem encontrado no rio Aquidauana
Desesperada, mãe paga R$ 13 mil para exorcizar filha, mas é decapitada por ela
Com 13º integral pela primeira vez, professora da REE agradece pela valorização dos convocados em MS
Bolsonaro diz que é preciso coragem para encerrar auxílio emergencial
Falta de leitos de UTI coloca em risco população de Dourados, diz secretário
Em Campo Grande, Adélio Bispo relata agressões e pede para voltar para MG
Espancado por causa de boatos de 'estuprador', homem morre no hospital
Vice-governador deixa comando do DEM em MS
Idoso é encontrado morto no Coophatrabalho