Menu
Busca domingo, 12 de julho de 2020
(67) 99820-0742
Set

MPE quer o afastamento de Vereadores que estão sendo investigados na Operação Coffe Break da Comissão de Ética

09 outubro 2015 - 21h40

“Os vereadores que estão sendo investigados na Operação Coffe Break não devem participar de comissões que tratam do assunto e aqueles que já fazem parte devem ser afastados”- essa é a recomendação do promotor de Justiça Fernando Zaupa, da 29ª Promotoria do Patrimônio Público, que encaminhou o pedido à Câmara Municipal de Campo Grande. A adoção desse procedimento foi sugerida pelo corregedor do MPE (Ministério Público Estadual), Mauri Valentim Riciotti.

O presidente da Comissão de Ética da Câmara, vereador João Rocha (PSDB), afirmou que a recomendação do MPE não prejudica os trabalhos do grupo, formado por ele e pelos vereadores Chiquinho Teles (PSD), que é o vice-presidente, Vanderlei Cabeludo (PMDB), Ayrton Araújo (PT) e Herculano Borges (SD). Segundo Rocha, desses, apenas Cabeludo e o petista prestaram depoimento ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), mas na condição de testemunhas e não investigados.

Mas ambos estão na lista dos 17 vereadores que tiverem os pedidos de afastamento feito pelo Gaeco indeferido pelo desembargador Luiz Claudio Bonassini da Silva. No pedido feito pelo Gaeco, os 17 vereadores são tratados como investigados. Ao rejeitar o pedido de afastamento deles, o magistrado afirmou em sua decisão que não viu a necessidade da adoção da medida, já que todos prestaram depoimento ao órgão do MPE. Bonassini também não vislumbrou o risco deles atrapalharem a investigação, caso permaneçam nos cargos.

 Da redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

Criança atropelada na MS-276 está internada em estado gravíssimo
Morador de Rio Brilhante morre de covid-19 aos 55 anos
Capotamento de Hilux destruiu raio-x que seguia para a UPA Universitário
Brasil chega aos 70 mil mortos pela covid-19
Em 14 dias, ocupação das UTIs de Campo Grande quase dobrou e chega a 75%
Ex-secretário de Saúde do Rio estava com R$ 6 milhões em espécie
Justiça rejeita pedido de interferência na Prefeitura de Dourados sobre falta de leitos
Polícia fiscaliza 12 toneladas de pescado em Campo Grande e encontra irregularidade
Com gasolina mais cara, inflação volta a subir em Campo Grande
MS passa dos 12 mil casos de coronavírus e registra 146 mortes pela doença