Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
(67) 99820-0742

Ladário já tem comissão que vai preparar projeto da Reforma Administrativa

23 fevereiro 2017 - 14h58Por Assessoria de Comunicação da PML

Nomeada pelo prefeito Carlos Ruso, a comissão que vai tratar da Reforma Administrativa, que tem por objetivo, reduzir os custos da máquina e melhorar o atendimento ao cidadão ladarense. No decreto, assinado no dia 20 de fevereiro, o prefeito destaca que “o objetivo é propor aos órgãos competentes, medidas para promover a eficiência da gestão pública e reduzir custos”.

Desde que assumiu a prefeitura, Ruso vem falando em promover essa reforma para dar mais agilidade ao sistema administrativo, promover a desburocratização e atender, de forma eficaz, a população. O decreto determina que a comissão, terá seis meses para apresentar um projeto ao Legislativo que terá que analisar e votar a proposta.

“Nós devemos nos reunir no dia 2, logo após o carnaval. Na primeira reunião, vamos definir o presidente da comissão, o plano de trabalho, e organizar as datas das reuniões”, disse o Chefe de Gabinete Hélder Botelho, um dos membros do grupo que é composto, além dele, pela secretária de Assistência Social, Andressa Paraquett; pela superintendente da Secretaria de Finanças e Planejamento, Norma Lucy de Mello; e pelo professor Raimundo Pinheiro dos Santos Neto.

A partir daí a comissão começará o processo de coleta de informações para definir as mudanças que serão feitas. “Vamos solicitar de todos os secretários, um levantamento do quadro de funcionários efetivos, comissionados e contratados. Vamos pedir um “raio-x” do funcionamento de cada secretaria”, explicou Hélder.

O decreto estabelece que seja feita uma “relação descritiva dos cargos e funções, e respectivas atribuições a fim de evitar redundâncias e sobreposição de competência”. Isso significa que o prefeito pretende enxugar cargos e funções, para diminuir as despesas com a folha de pagamento.

Também existe a possibilidade de extinção ou fusão de secretarias e fundações, uma tendência que vem se instalando nas governadorias e prefeituras de todo o país, devido à crise econômica pela qual o Brasil está passando.  

“No final a ideia é enxugar a máquina administrativa, com dois objetivos, diminuir os gastos da administração pública, tanto de pessoal quanto com manutenção; e dar eficiência ao serviço público, aquele que é prestado ao munícipe”, esclareceu Botelho. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Anvisa autoriza importação de 6 milhões de doses da CoronaVac
Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado de R$ 38 milhões
Sanguessuga viva é retirado da traqueia de um menino; parasita ficou um ano lá
Homem achado morto com furos no rosto em Corumbá é identificado e polícia quer testemunhas
Sábado terá pancadas de chuva e máxima de 41°C em MS
Motorista tomba caminhão com boiada e fica ferido em Batayporã
Trio de arrombadores de casas é descoberto pela PM e vítima lamenta: 'venderam tudo
Dudu, do Bifão da Coophasul, morre em Campo Grande
Campo-grandense pesca peixão de 1,4 m no Rio Aquidauana
Do PSL, Ovando diz que não será cobaia da vacina; já Fabio e Vander alertam para proteção da vida