Menu
Busca domingo, 27 de setembro de 2020
(67) 99820-0742
/*%%SmartyNocache:1641249555f701de8d2ac08-80018106%%*/smarty; if (!is_callable('smarty_function_get_banners')) include 'application/smarty_plugins/function.get_banners.php'; ?>/*/%%SmartyNocache:1641249555f701de8d2ac08-80018106%%*/

Justiça Eleitoral pode cancelar 38.780 títulos de faltosos em MS

23 fevereiro 2017 - 15h06Por Campo Grande News

Levantamento da Justiça Eleitoral aponta que 38.780 faltosos podem ter o título de eleitor cancelado em Mato Grosso do Sul. O maior número é em Campo Grande, com 12.606 pessoas. Enquanto o menor é em Taquarussu: 31 títulos de eleitor. Eles deixaram de votar nas três últimas eleições.

A lista com o nomes ficarão disponíveis nos cartórios eleitorais por, no mínimo, dez dias. Os eleitores que constarem na relação de faltosos deverão comparecer ao cartório eleitoral no período de 2 de março a 2 de maio.

A pessoa deverá apresentar documento com foto que comprove sua identidade, título eleitoral e comprovantes de votação, de justificativa e de recolhimento de multa ou de dispensa de recolhimento.

O não comparecimento para comprovação do exercício do voto, da justificativa de ausência ou do pagamento das multas correspondentes implicará o cancelamento automático do título de eleitor, a ser efetivado de 17 a 19 de maio

Cada turno do pleito é considerado uma eleição e a Justiça Eleitoral não expedirá nenhuma notificação ao eleitor informando sobre a pendência no cadastro eleitoral. O dados revelam que o número de eleitores faltosos no Brasil chega a 1,9 milhão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Eleições 2020: termina hoje prazo para pedir registro de candidatura
Pandemia amplia vulnerabilidades de surdos, diz secretária
Prefeitura encaminha imigrantes e pessoas em situação de rua ao mercado de trabalho
França abre investigação para apurar ataque com faca em Paris
Universidade oferece tratamento gratuito a pacientes com sequelas da covid-19
Reme ainda não tem prazo para retorno das aulas presenciais
Jovem de 22 anos perde controle de moto e morre na Salgado Filho
Bandidos não perdoam nem cavalos em Corumbá
Caminhoneiro de Dourados capota e morre na serra de Maracaju
AGU cobra na Justiça R$ 893 milhões de desmatadores da Amazônia