Menu
Busca quarta, 02 de dezembro de 2020
(67) 99820-0742

Delegado nega mala de dinheiro encontrada com assessores de candidato à Prefeitura de Corumbá

13 setembro 2016 - 21h08

Uma mala, com a quantia no valor de R$ 27, 5 mil, que supostamente teria sido encontrado em veículos, de assessores da campanha do candidato Paulo Duarte, que está na briga para a reeleição, à Prefeitura de Corumbá, foi negada na tarde desta terça-feira, 13 de setembro. A informação partiu durante a entrevista coletiva, concedida pelo delegado da Polícia Civil de Ladário Fernando Araújo.

De acordo com o titular da delegacia, uma denuncia anônima levou a Polícia Civil, a abordar os veículos, uma camionete Toyota SW4 e um VW Gol, na noite de ontem (12) próximo ao Posto Lampião Aceso, localizado na BR-262. Porém, após revistas, foi encontrado apenas material de campanha, santinhos.

“Não encontramos nada de dinheiro. Apenas material de campanha, que estão de acordo com notas fiscais apresentadas, uma no valor de R$ 135,00 e outra na quantia de R$ 4,9 mil. Mas, como faz parte da procedência, o material foi retido para averiguar se está conforme o documento apresentado. Até o momento, não há em hipótese alguma crime eleitoral, a não ser que, se após averiguação todo este material não estiver correspondendo com as notas fiscais apresentadas”, explicou o delegado.

Ainda conforme ele, caso isso aconteça, a procedência será, “encaminhar as caixas, onde estão os materiais de campanha, juntamente com os veículos para a Justiça Eleitoral, responsável pelos crimes eleitorais. Mas isso só deve acontecer se encontrarmos irregularidades”, falou.

Ao todo, três pessoas foram retidas, porém, liberadas posteriormente.

Indagado sobre a denuncia, o delegado Fernando Araújo, questionou sobre as informações que foram repassadas por um veículo de comunicação, de Campo Grande, onde ele mesmo disse que não havia se manifestado sobre o caso, e ,que, em nenhum momento repassou qualquer tipo de conhecimento sobre as investigações. "Tudo isso é pelo perídio que estamos vivendo, ou seja, eleições", citou.

“Encaro isso tudo como indignação, falta de ética de alguns veículos. Como antes mesmo de fazer a averiguação dos veículos, já havia gente querendo saber sobre quantia de dinheiro apreendido. Quando chegamos à Delegacia, pessoas estavam questionando sobre a quantia apreendia, em malas, que foram averiguadas, mas só roupas estavam nelas, sendo que na verdade, nada foi encontrado, além dos materiais citados. Fiquei surpreso.  acredito que pode ter havido uma certa tentativa de utilização da máquina pública para estar beneficiando candidatos concorrentes”, afirmou o delegado.

 

Fonte: Leonardo Cabral (colaboração)

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Com 13º integral pela primeira vez, professora da REE agradece pela valorização dos convocados em MS
Bolsonaro diz que é preciso coragem para encerrar auxílio emergencial
Falta de leitos de UTI coloca em risco população de Dourados, diz secretário
Em Campo Grande, Adélio Bispo relata agressões e pede para voltar para MG
Espancado por causa de boatos de 'estuprador', homem morre no hospital
Vice-governador deixa comando do DEM em MS
Idoso é encontrado morto no Coophatrabalho
Polícia prende suspeito de furtos em série em Nova Andradina
AGETRAT divulga empresas aptas ao transporte privado individual de passageiros
Adolescente abusado pelo pai carrega na pele sinais dos maus-tratos