Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(67) 99820-0742
Set

Suspeito mora próximo ao local, diz delegada responsável pelo caso da morte de cães no Guató

21 julho 2016 - 17h02

A Polícia Civil já investiga o caso dos dez animais que morreram no bairro Guató, localizado na parte alta da cidade. O crime, que assusta os moradores da região, vem acontecendo desde a semana passada, quando oito animais foram encontrados mortos, na Quadra 17, da Alameda Tucano.  

Desde então, o registro de cães com suspeita de envenenamento vem aumentando e chamando a atenção da população corumbaense. No domingo (17), uma cadelinha, que estava agonizando, apresentou os mesmos sintomas dos outros animais.

Já no início desta semana, outra cadela foi encontrada morta. Ao lado do corpo, um pedaço de salgado, que provavelmente estava com veneno e foi ingerido pelo animal, que acabou vindo a óbito. O caso foi registrado pela dona do cachorro nas redes sociais.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Thais Cavalcante França, uma equipe de investigadores já esteve no local colhendo informações que possam levar à pessoa que vem cometendo esses crimes.

“Nós já estamos com um suspeito, porém, estamos trabalhando o caso. Conversamos com os donos dos animais, que registraram o boletim de ocorrências. A pessoa que vem cometendo esses crimes mora próximo ao local. Assim que concluirmos o caso, iremos encaminhar para o juizado”, informou ao Corumbá Agora a delegada Thais França.

Ainda conforme ela, a orientação, caso outros cães sejam vítimas, é de que os donos registrem o BO, “e que qualquer objeto encontrado próximo à eles, como pedaço de salgado, ou até mesmo carne, como foi o caso dos oito animais, que eles possam embalar e colocar dentro de um recipiente e trazer até a delegacia, para que possamos realizar exames que comprovem se foi ou não envenenamento”, explicou.

É crime

No Brasil, maltratar animais de qualquer espécie é considerado CRIME AMBIENTAL, segundo prevê o art. 32 da Lei nº 9.605, de1998, com pena de detenção de três meses a um ano e multa.

Além da violência física, são considerados maus tratos contra os animais: o abandono em via pública; mantê-lo permanentemente acorrentado; não abrigar do sol e da chuva; mantê-lo em local pequeno, não higiênico e/ou sem ventilação adequada; não alimentar diariamente; negar assistência ao ferido; obrigar o animal a trabalho excessivo, etc.

 

 

Fonte: Leonardo Cabral (colaboração) 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Criança atropelada na MS-276 está internada em estado gravíssimo
Morador de Rio Brilhante morre de covid-19 aos 55 anos
Capotamento de Hilux destruiu raio-x que seguia para a UPA Universitário
Brasil chega aos 70 mil mortos pela covid-19
Em 14 dias, ocupação das UTIs de Campo Grande quase dobrou e chega a 75%
Ex-secretário de Saúde do Rio estava com R$ 6 milhões em espécie
Justiça rejeita pedido de interferência na Prefeitura de Dourados sobre falta de leitos
Polícia fiscaliza 12 toneladas de pescado em Campo Grande e encontra irregularidade
Com gasolina mais cara, inflação volta a subir em Campo Grande
MS passa dos 12 mil casos de coronavírus e registra 146 mortes pela doença