Menu
Busca terça, 01 de dezembro de 2020
(67) 99820-0742

PMA recebe quatro viaturas provenientes do convênio com a Fundação de Turismo

14 fevereiro 2017 - 11h41

Esteve hoje (13) pela manhã no Comando do 15º Batalhão de Polícia Militar Ambiental, o Presidente da Fundação de Turismo (Fudtur) Nelson Cintra, para a entrega de quatro viaturas adquiridas pelo Convênio entre a PMA e a Fundtur.

As viaturas da marca Mitsubishi L200 Triton já equipadas foram destinadas aos municípios de Bonito, Corumbá, Aquidauana e Miranda e os Comandantes de cada Subunidade levaram os veículos para suas respectivas cidades.

O recurso para aquisição do material é advindo do “Selo Turismo”. Este selo é pago, quando o turista lacra o pescado nos Postos da Polícia Militar Ambiental. O lacre do pescado alimenta uma pesquisa de controle de recursos pesqueiros, denominada Serviço de Controle de Pesca (SCPESCA), que é executada em parceria entre a Polícia Militar Ambiental, o Imasul e a EMBRAPA/PANTANAL.

A Polícia Militar Ambiental coleta todos os dados para a pesquisa, no momento que executa o lacre dos peixes, que é obrigatório, tanto para a pesca amadora, como profissional. Em uma Guia de Controle de Pescado (GCP), fornecida pelo Imasul, a qual é obrigatória para se transportar pescado no Estado, a PMA cataloga as espécies de pescado, peso, número de pescadores que participaram da pescaria, entre outros dados.

Os dados são tabulados e trabalhados pelos pesquisadores da EMBRAPA, permitindo um controle da pesca em Mato Grosso do Sul. Por exemplo: Conforme o esforço de pesca (quantidade de pescadores) e a quantidade de pescado capturado ano a ano, há como se saber se alguma espécie está diminuindo e, dessa forma, tomam-se medidas de controle de sobrepesca.

A medida principal que tem sido implementada é o estabelecimento de tamanho mínimo de captura, ou aumento deste tamanho, para espécie que já tenham determinação de tamanho. Exemplo: a pesca do Dourado já foi permitida para exemplar com 45 centímetros e atualmente é de 65 centímetros.

Este tipo de trabalho permite até a possível proibição de pesca para uma determinada espécie, caso os pesquisadores detectem essa necessidade. Além disso, como se percebeu, o lacre gera recursos, que são aplicados na fiscalização e para o desenvolvimento do turismo no Estado.

(ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL – PMMS)

Deixe seu Comentário

Leia Também

R$ 4,79: MS tem gasolina mais cara do Brasil, segundo levantamento
Mãe abandona crianças de 2 e 6 anos sozinhas para usar drogas no Vida Nova
Mãe tirou foto da filha momentos antes de ela morrer eletrocutada por decoração
Idosa é morta a facadas e tem casa queimada; principal suspeito é marido, que está internado
Funcionários de terceirizada da Energisa entram em greve por tempo indeterminado
Pedreiro e adolescentes mataram vizinho no Nova Lima em briga por registro de água
Agepan inicia mais uma campanha de fiscalização da geração de energia elétrica
Farmacêutica dos EUA vai solicitar uso emergencial de vacina contra Covid-19 no país e na Europa
Três acertam seis dezenas e levam R$ 33 mil em sorteio da Nota MS Premiada
Bio-Manguinhos fornece novo remédio para doenças reumatológicas ao SUS