Menu
Busca sábado, 28 de março de 2020
(67) 99820-0742
Set

“Operação Qijarro”: PF cumpre cinco mandados de busca e apreensão e executa quatro conduções coercitivas em Corumbá

29 junho 2016 - 15h11

Durante a Operação Quijarro, deflagra pela Polícia Federal nesta quarta-feira, 29 de junho, só em Corumbá foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e executados quatro conduções coercitivas em determinados pontos do município. Segundo as informações repassadas pela assessoria de imprensa da PF,
Cerca de 150 policiais foram envolvidos na operação, que aconteceu também nos estados do Paraná e São Paulo, além do Mato Grosso do Sul.

Ao todo foram cumpridos 81 mandados judiciais, sendo 14 de prisão preventiva, 17 de busca e apreensão em imóveis, 43 de busca e apreensão de veículos e sete de condução coercitiva nas cidades de Londrina e Araucária(PR), Corumbá(MS), Martinópolis, Presidente Prudente, em São Paulo, e na capital paulista.

Ainda conforme a PF as investigações começaram em janeiro de 2015, onde um dos grupos responsáveis pela logística do transporte da cocaína estava instalado na cidade de Londrina/PR, possuindo ramificações no Brasil, Bolívia, Colômbia e Espanha.

Prisões em outras regiões

A Polícia Federal em Cooperação Internacional com a polícia boliviana, conseguiu realizar a prisão dos traficantes mais procurados daquele país, responsáveis pelo ingresso de duas toneladas de cocaína por mês no Brasil.

A cocaína era transportada em caminhões e carretas com fundos falsos especialmente preparados para o transporte da droga, utilizando-­se da simulação de cargas lícitas para driblar a fiscalização, bem como de motoristas que já tinham conhecimento de que transportavam a substância entorpecente.

Durante os trabalhos mais de três toneladas de cocaína foram apreendidas, cerca de 10 milhões de dólares foram sequestrados do Núcleo boliviano e foram identificados no Brasil os imóveis que eram utilizados como entrepostos para o carregamento, descarregamento e confecção de “fundos falsos”.

Foram sequestrados até o presente momento 7 (sete) imóveis no Brasil e bloqueadas diversas contas bancárias dos investigados. Os presos responderão pelos crimes de tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro, associação para o tráfico, falsificação de documentos públicos e privados, furto, roubo, homicídio e organização criminosa, com penas somadas que passam de 20 anos de prisão.

A denominação Operação Quijarro é uma referência ao fato de que a organização criminosa investigada efetuava o ingresso da cocaína no Brasil através da cidade de Puerto Quijarro, na Bolívia, fronteira com a cidade de Corumbá/MS. (com informações comunicação PF)

 

Por : Leonardo Cabral 

Deixe seu Comentário

TECNODENTAL
Set 2

Leia Também

Após 4 anos, Esacheu Nascimento deixa o comando da Santa Casa de Campo Grande
Servidor morre de dengue hemorrágica em Itaquiraí
Primeiro-ministro Boris Johnson está infectado com o coronavírus
PM de folga prende homem armado com foice após tentativa de assassinato
Acusado de matar namorada com tiro na cabeça é preso
Especialista de MS cobra auxílio para autônomos o mais rápido possível
Após decreto, lotéricas reabrem e controlam entrada de pessoas em Campo Grande
Em 3 dias, 131 moradores de rua já foram levados para pontos de acolhimento
Após discurso de Bolsonaro, violações ao toque de recolher subiram 400% em Campo Grande
Lacen descarta mais um caso suspeito de COVID-19 em Corumbá