Menu
Busca segunda, 30 de novembro de 2020
(67) 99820-0742

“Atitude desesperada”: pai tenta justificar venda de bebê por R$ 3 mil no Facebook

06 outubro 2016 - 16h50

“Foi uma atitude desesperada, estou muito arrependido”, foi assim que o locutor de 26 anos começou a contar a história que resultou em sua prisão, nesta quarta-feira (5), em Campo Grande. O rapaz confessou ter negociado pelo Facebook a venda do próprio filho, de 4 meses, por R$ 3 mil, um dinheiro, que, segundo ele, ajudaria nas despesas da família.

Chorando, o rapaz contou que a suposta adoção da criança começou em fevereiro deste ano, quando a mulher de 22 anos ainda estava grávida. Na época, os dois moravam em Minas Gerais e passavam por problemas financeiros e também pessoais. “A gente estava brigando, morávamos em um contêiner e eu, então, fiz o anúncio da adoção no Facebook”.

Ao descobrir o que o companheiro tinha feito, a jovem de 22 anos, que já tinha uma filha, se negou a entregar o bebê e convenceu o marido a mudar de ideia. “A gente se acertou e ela me falou: 'A gente passa necessidade, mas vamos criar nosso filho juntos, apaga isso'”. Assim o rapaz fez, apagou o aplicativo Messenger do Facebook e nunca mais tocou no assunto.

O menino nasceu, e a família se mudou para São Gabriel do Oeste, a 138 quilômetros de Campo Grande. Na cidade, o rapaz arrumou um emprego e tudo estava bem, até as eleições. “Larguei meu emprego para trabalhar na campanha, mas o candidato não ganhou e eu fiquei sem ter onde trabalhar”, explicou. “Eu não tinha dinheiro para pagar o aluguel nem para mudar para outra casinha. Meu filho estava usando fralda de pano, minha filha [agora com 5 anos] me pedia para comer uma bolacha e eu não tinha condições de dar”, lamentou. Na mesma época, o locutor reativou o aplicativo de conversas e recebeu várias notificações de pessoas interessadas na adoção da criança.

Entre todos os ‘candidatos’, o rapaz começou a conversar com uma estudante de direto, moradora em São Paulo. Ele afirmou que contou a situação que estava passando e a mulher ofereceu um auxílio financeiro. O valor combinado, de R$ 3 mil, seria aproximadamente o valor equivalente às dívidas que ele tinha em São Gabriel. A estudante viria a Campo Grande buscar o bebê e, junto, traria toda a documentação necessária para a adoção do menino. Horas antes de cumprir o trato, o jovem contou para a esposa, que se negou a entregar o filho pela segunda vez.

“Pelo que vimos nas mensagens que eles trocaram por celular, toda a família ficou sabendo, a mulher se negou e ele acabou desistindo”, afirmou o delegado responsável pelo caso, Mário Donizete Ferraz de Queiroz. “Depois que a família da minha mulher descobriu, falaram que não tinham como ajudar com dinheiro, mas arrumaram um quartinho para gente morar e um emprego para mim em São Paulo, a gente estava indo para lá”, contou o rapaz.

Ao chegarem a Campo Grande, sem dinheiro para continuar a viagem até a capital paulista, o casal procurou o Serviço Social da Rodoviária, onde, diante do choro da mulher, ele acabou contado toda a história e terminou preso. “Estou muito arrependido. Ver minha mulher chorando. Tudo que ela mais queria era ter um filho homem e eu fiz uma coisa dessa. Se eu só tivesse pedido as passagens, não daria nada, mas eu quis confessar”, desabafou.

O jovem foi preso em flagrante por prometer ou efetivar a entrega de filho ou pupilo a terceiro, mediante pagamento ou recompensa. Investigações para identificar a possível compradora do bebê serão realizadas agora. Na delegacia, foi arbitrada uma fiança de R$ 200 para que o locutor fosse solto, mas a família não teve condições de pagar.

Os dois filhos, a esposa e a sogra do suspeito foram levados para o Cetremi (Centro de Triagem e Apoio ao Migrante), já que não tinham onde ficar. “O que vai ser da minha família. Agora eu tenho um emprego em São Paulo. Mas o que adianta? Eu vou ficar preso”, chorou o rapaz, antes de ser levado novamente para as celas.

 

Fonte: Midiamax 

Deixe seu Comentário

Leia Também

R$ 4,79: MS tem gasolina mais cara do Brasil, segundo levantamento
Mãe abandona crianças de 2 e 6 anos sozinhas para usar drogas no Vida Nova
Mãe tirou foto da filha momentos antes de ela morrer eletrocutada por decoração
Idosa é morta a facadas e tem casa queimada; principal suspeito é marido, que está internado
Funcionários de terceirizada da Energisa entram em greve por tempo indeterminado
Pedreiro e adolescentes mataram vizinho no Nova Lima em briga por registro de água
Agepan inicia mais uma campanha de fiscalização da geração de energia elétrica
Farmacêutica dos EUA vai solicitar uso emergencial de vacina contra Covid-19 no país e na Europa
Três acertam seis dezenas e levam R$ 33 mil em sorteio da Nota MS Premiada
Bio-Manguinhos fornece novo remédio para doenças reumatológicas ao SUS