Menu
Busca quarta, 03 de junho de 2020
(67) 99820-0742
Set

Pacientes com câncer voam de graça para Barretos

10 outubro 2019 - 09h45Por Da Redação

Na luta contra o câncer de mama, algumas iniciativas amenizam os impactos durante o tratamento da doença, que possui maior incidência na população feminina. É o caso da parceria entre a companhia aérea Azul e o Hospital de Amor de Barretos, que juntos idealizaram o ‘Conexão Azul Rosa’, um projeto social que oferece passagens de avião para pacientes que precisam de transporte durante o tratamento. 

O projeto, que existe desde 2017, já disponibilizou viagens gratuitas de avião para 90 pacientes de diversas regiões do Brasil e seus acompanhantes, que vão principalmente para a cidade de Barretos (SP), sede do Hospital de Amor, ou para outros hospitais parceiros. O intuito é minimizar o desconforto durante o deslocamento das mulheres nas longas viagens necessárias para chegar ao destino do tratamento. A sul-mato-grossense Zaira Marilza Leite, 41 anos, foi uma das mulheres beneficiadas pelo Conexão Azul Rosa. 

Residente em Rio Verde, Zaira foi diagnosticada com câncer de mama e precisou realizar sessões de radioterapia em Barretos, quando teve a batalha amenizada em função do auxílio. “A viagem de avião trouxe uma leveza para o tratamento. É muito pesado saber que se tem câncer e foi uma aventura que transformou o tratamento. A semana passou melhor. Me senti amada, abraçada”, diz. 

Desde o início do projeto, a Azul destinou cerca de R$400 mil em passagens aéreas para as pacientes do Hospital de Amor, ligado ao Hospital do Câncer de Barretos. “Com o Conexão Azul Rosa, usamos o poder da aviação para transportar essas mulheres com conforto e comodidade para os diversos centros de tratamento do Hospital de Amor” explica Carolina Constantino, gerente de Comunicação e Responsabilidade Social da companhia aérea. Na nova fase do Conexão Azul Rosa, que ocorre entre outubro deste ano e outubro de 2020, o intuito é beneficiar 15 novas pacientes. 

O câncer de mama é o tipo de neoplasia que mais acomete mulheres no país. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa para 2019 é que 59,7 mil novos casos da doença sejam diagnosticados. Ainda segundo o INCA, a estimativa para o Mato Grosso do Sul neste ano é que, a cada 100 mil mulheres, 830 venham a ser acometidas pelo câncer de mama. A detecção precoce é fundamental para que o tratamento seja bem sucedido, levando a maior probabilidade de cura.   

CAMPO GRANDE

A capital do Mato Grosso do Sul conta com uma unidade de prevenção do Hospital de Amor desde 2013, onde são realizados diversos procedimentos de diagnóstico do câncer. O atendimento à população é gratuito, através do Sistema Único de Saúde (SUS), sendo realizadas no local consultas, mamografias, papanicolau, colposcopias, biópsias e pequenas cirurgias de mama e colo de útero. O instituto também conta com uma unidade móvel, que percorre os bairros da cidade realizando mamografias e papanicolau. Por mês, são oferecidas duas mil vagas para mamografias, tanto na carreta como na unidade fixa do hospital. 

Para marcar atendimento, não é necessário encaminhamento médico. O agendamento para procedimentos pode ser feito pelo telefone (67) 3304-6600. Para realizar a mamografia, a paciente precisa ter entre 40 e 69 anos. O Hospital de Amor fica na Avenida Vereador Thyrson de Almeida, 3103, no Jardim Aero Rancho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Corumbá tem mais 15 positivos, e totaliza 44 casos de Covid-19
CNC: confiança do empresário do comércio cai 20,9 de abril para maio
Municípios aderem a repasse para ajudar Sistema de Assistência Social
Vacinação contra H1N1 é prorrogada para público de todas as fases
Contribuinte ainda pode destinar parte do Imposto de Renda para o CMDCA
Vereador diz que 54% das mortes de covid-19 são de pretos e pardos
Exposedcg: denunciado por estupro no Twitter procura a delegacia e relata calúnia
Com 33 novos casos, Dourados supera Campo Grande e já tem maior número de Covid-19 em MS
Coronavírus chegou ao Brasil pela Europa, América do Norte e Oceania
Rio de Janeiro começa reabertura gradual das atividades