Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Estimulando pequenos negócios, Marinha e Sebrae firmam acordo de compras públicas no Estado

28 julho 2016 - 15h07

A Marinha do Brasil, por intermédio do Comando do 6º Distrito Naval e o Sebrae/MS, firmaram nesta quarta-feira (27), na sede da instituição de apoio aos pequenos negócios em Campo Grande, um Termo de Cooperação Técnica.

O acordo prevê ações – como treinamentos e rodadas de negócios a empreendedores, bem como tratamento diferenciado em licitações (conforme previsto na Lei Geral e no Decreto nº 8.473) – para estimular as compras públicas de micros e pequenas empresas e produtores rurais da agricultura familiar de Mato Grosso do Sul.

Para o Contra-Almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, Comandante do 6º Distrito Naval, o órgão busca uma gestão voltada à eficiência. “As compras governamentais de fornecedores locais, além de reduzir os gastos e economizar desta maneira recursos da federação, promove o desenvolvimento econômico sustentável de cada região, já que faz o dinheiro investido circular no próprio município. Esta parceria será boa para todos”, afirmou.

De acordo com dados apresentados pelo capitão de fragata Alfredo Lee, diretor do Centro de Intendência da Marinha em Ladário, dos 194 fornecedores que atendem às demandas por produtos e serviços dos militares navais em Mato Grosso do Sul, apenas 40 são do estado; e dos R$ 24 milhões comprados durante o exercício de um ano, somente R$ 6 milhões (25%) são destinados a empreendimentos de MS.

“A gente enxergou no Sebrae uma solução para superarmos a dependência de produtos e serviços de fora do estado”, disse Lee. A expectativa, aponta ele, é de que ao menos metade dos fornecedores e do valor investido nas compras públicas sejam de pequenos negócios da região. Entre os compromissos previstos no acordo está o cumprimento, a partir de 2017, do Decreto nº 8.473.

A norma determina que no mínimo 30% do valor destinado à aquisição de gêneros alimentícios, no exercício financeiro, por parte de órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional, devam ser utilizados diretamente na compra da agricultura familiar; do empreendedor familiar rural ou ainda de suas organizações.

“As compras públicas são fundamentais para o desenvolvimento local. Abriremos ainda mais oportunidades aos pequenos negócios urbanos e rurais, por meio da atuação conjunta para levar capacitações técnicas a estes empreendedores, os tornando aptos a fornecer para órgãos públicos e grandes empresas”, destaca Edison Araújo, presidente do Conselho Deliberativo Estadual (CDE) do Sebrae e também presidente da Fecomércio-MS.

 

Fonte: Redação 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Renda Cidadã: Bolsonaro nega desejar reeleição e diz estar aberto a sugestões
PF detém secretários de Barbalho por suspeita de desvios na Saúde
Homem morre durante visita a academia no Aero Rancho
Ipea: renda dos mais pobres foi 32% maior que o habitual em agosto
Corpo é encontrado às margens da MS-160
Combate às queimadas no Pantanal ganha reforço de 120 brigadistas e bombeiros
Familiares de gêmeos mortos com 13 tiros são ouvidos e polícia procura por assassinos
Em Coronel Sapucaia, obras de recapeamento vão custar R$ 2,2 milhões
Com ressalvas, deputados aprovam mudanças no plano de aplicação dos recursos do Fundersul
Fogo se alastra em reserva no Pantanal, moradora corre e consegue salvar galinhas