Menu
Busca quinta, 27 de fevereiro de 2020
(67) 99820-0742
Set

Correios entram em greve nesta quarta e serviços básicos podem ser afetados

11 setembro 2019 - 15h15Por MidiaMax

Teve início nesta quarta-feira (11) a greve de funcionários dos Correios e Telégrafos. Em Campo Grande, a expectativa é que toda a categoria faça adesão à paralisação, que tem prazo indeterminado.

Segundo o Sintect-MS (Sindicato dos trabalhadores nos Correios, Telégrafos e Similares de MS), os cerca de 1,300 funcionários do Estado devem aderir à greve e, com isso, a entrega de correspondências e demais serviços pode ser afetada.

Com data-base em 1º de agosto deste ano, as negociações salariais tiveram início ainda em julho, porém, o TST (Tribunal Superior do Trabalho) entrou na mediação após proposta de reajuste de 0,8%, quando a inflação para o período seria de cerca de 3,5%,.

Estávamos em negociação e já havia indicativo de paralisação, mas o TST mediou prazo de negociação até o último dia 31, porém, não houve avanço. A empresa se negou a continuar negociando, mesmo com a mediação do TST. Além do reajuste abaixo da inflação, a empresa quer a retirada de cláusulas da Convenção que darão prejuízo de mais de R$ 6 mil anuais para o trabalhador”, destaca Elaine Regina de Souza Oliveira, presidente do Sintect-MS.

A categoria esteve nesta manhã em concentração noas imediações do cruzamento entre a Rua Barão do Rio Branco e a Avenida Ernesto Geisel, a fim de conversar com os trabalhadores que aderiram à greve, “Vamos resolver as ações da greve diariamente, conversando com a categoria. Estamos chamando todos os trabalhadores para participar porque quanto maior o numero, maior a pressão e a gente consegue ter o encerramento da greve”, acrescenta.

Também nesta quarta-feira, os Correios divulgou nota sobre a paralisação, na qual apontam que a empresa participou de dez encontros na mesa de negociação, quando a real situação da estatal teria sido apresentada, além de propostas para o acordo “dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões”.

“Mas as federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa, algo insustentável para o projeto de reequilíbrio financeiro em curso pela empresa”, traz a nota.

Deixe seu Comentário

Set 2

Leia Também

Corumbá esta tomando medidas referente ao Novo Corona Vírus Natalia Leal Capille Serra 26 de fevereiro de 2020
Mulher flagra marido na cama com amante e ele acaba preso com faca
Suspeito de roubo morre durante perseguição policial na fronteira
Ministério da Saúde quer antecipar vacinação contra gripe
Na maior rodoviária de MS, confirmação de coronavírus em SP não muda volta do Carnaval
Cirurgião plástico que sumiu após festa no Damha reaparece e está bem
Bolsonaro é fortemente criticado após divulgar vídeo com chamado para manifestação
Há mais novos casos fora da China do que no país, mas não há necessidade de pânico, diz OMS
Bovespa despenca mais de 5% na reabertura dos mercados no Brasil
Governo de SP cria centro de contingência para monitorar casos suspeitos de coronavírus