Menu
Busca sexta, 14 de agosto de 2020
(67) 99820-0742
Set

Preço da carne vai recuar em 2020, mas será maior do que o registrado até setembro, dizem frigoríficos

10 dezembro 2019 - 17h15Por G1

A associação que representa os frigoríficos exportadores de carne bovina (Abiec) disse nesta terça-feira (10) que os preços da proteína em 2020 devem diminuir em relação a outubro e novembro, mas seguirão mais caros em relação ao período de janeiro e setembro.

“Eu acho que (na média) nós não vamos retroagir nos preços da arroba e nem no preço de carne", disse o presidente da Abiec, Antônio Camardelli.

"Não vai ficar nos patamares do momento de oscilação maior (outubro e novembro), mas não vai voltar aos preços ortodoxos de antes. Vai encontrar um ponto de equilíbrio”, completou.

Exportação recorde

A associação afirma que 25% da produção brasileira de carne bovina deste ano será vendida ao exterior, uma situação inédita no setor. A média histórica está entre 20% e 22%.Com o resultado, 75% do que foi produzido ficou no mercado interno.Com dados preliminares para dezembro, a venda de carne de boi para o exterior deve chegar a 1,82 milhão de toneladas, alta de 11,7% em relação a 2018. Em receita, o valor alcança US$ 7,45 bilhões (+13,3%).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia Militar de Corumbá prende homem com mandado de prisão em aberto no bairro Aeroporto
Planos de saúde vão cobrir exames para detecção do novo coronavírus
Homem baleado na cabeça na Mato Grosso morre na Santa Casa
Homem envia fotos nuas da ex-mulher em aplicativo e acaba preso em Anaurilândia
Cloroquina 'some' das farmácias e preço vai às alturas; pacientes com lúpus são prejudicados
Comerciante é executado a tiros enquanto aguardava em semáforo na fronteira
Com mais de mil casos em 24h, MS tem 34,5 mil infectados e 570 mortes por coronavírus
Concurso público com salários de até R$ 3,1 mil prorroga prazo de inscrições
Paranaíba: donos de veículos apreendidos pela polícia têm prazo de 30 dias para evitar leilão
Campo Grande é 5ª cidade mais infiel na pandemia, diz aplicativo