Menu
Busca sexta, 14 de agosto de 2020
(67) 99820-0742
Set

Por 19 a 2, reforma da previdência estadual é aprovada em 1ª votação

10 dezembro 2019 - 15h00Por Campo Grande News

O projeto da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que reforma a previdência estadual foi aprovado em primeira votação na Assembleia Legislativa, em sessão plenária na manhã desta terça-feira (10). O texto agora segue para comissão especial responsável por analisar matérias que alteram a carta-magna do Estado e deve ser votado em definitivo já nesta quinta-feira (12).

 

Foram 19 parlamentares favoráveis à reforma: Antônio Vaz (Republicanos), José Carlos Barbosa (DEM), Renan Contar (PSL), Carlos Alberto David (PSL), Eduardo Rocha (MDB), Evander Vendramini (PP), Gerson Claro (PP), Herculano Borges (SD), Jamilson Name (PDT), Lidio Lopes (Patriota), Londres Machado (PSD), Lucas de Lima (SD), Marçal Filho (PSDB), Marcio Fernandes (MDB), Neno Razuk (PTB), Rinaldo Modesto (PSDB), Renato Câmara (MDB), Onevan de Matos (PSDB) e Zé Teixeira (DEM).

Apenas a bancada do PT - José Almi e Pedro Kemp - votou contra a reforma.

Como adiantado pelo Campo Grande News, o texto foi “consolidado” com 20 das 26 emendas apresentadas. Outras duas emendas foram modificadas.

Revisada, a PEC foi aprovada por unanimidade na CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final) e recebeu apoio de 22 deputados.

Relator do projeto na CCJR, Gerson Claro reforçou que quase todo o texto ficou igual à reforma federal. “Não prevê privilégios a grupos, pelo contrário. Conseguimos entendimento em várias partes”, disse.

Entre outros pontos, Claro lembrou de emenda apresentada para adiar a vigência da reforma em 180 dias, prazo que foi reduzido para 90 dias após negociações com as categorias afetadas.

Oposição ao texto, José Almi falou que o PT “tem visão ideológica e pensamento igual ao da direção nacional, em que tanto reforma federal quanto estadual prejudica os trabalhadores”.

O petista ainda reclamou da antecipação do Executivo estadual ao trâmite da PEC paralela no Congresso Nacional, que permitiria ao Estado se alinhar à reforma federal ao apenas aprovar lei ordinária - que exige maioria simples em plenário.

O deputado Renan Contar ressaltou a simetria entre as propostas estadual e nacional, e comemorou incorporação ao texto de emenda apresentada por ele, que exige aplicação exclusiva da receita previdenciária em despesas com o regime de aposentadorias.

A Assembleia ganhou reforço na segurança durante a sessão plenária de hoje, com 40 policiais militares e até cavalaria empregada. O efetivo, porém, não precisou agir, uma vez que não foram registrados protestos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia Militar de Corumbá prende homem com mandado de prisão em aberto no bairro Aeroporto
Planos de saúde vão cobrir exames para detecção do novo coronavírus
Homem baleado na cabeça na Mato Grosso morre na Santa Casa
Homem envia fotos nuas da ex-mulher em aplicativo e acaba preso em Anaurilândia
Cloroquina 'some' das farmácias e preço vai às alturas; pacientes com lúpus são prejudicados
Comerciante é executado a tiros enquanto aguardava em semáforo na fronteira
Com mais de mil casos em 24h, MS tem 34,5 mil infectados e 570 mortes por coronavírus
Concurso público com salários de até R$ 3,1 mil prorroga prazo de inscrições
Paranaíba: donos de veículos apreendidos pela polícia têm prazo de 30 dias para evitar leilão
Campo Grande é 5ª cidade mais infiel na pandemia, diz aplicativo