Menu
Busca sexta, 03 de abril de 2020
(67) 99820-0742
Corona

Nova liminar do TRF3 mantém decisão anterior e obriga indígenas a desocuparem terras invadidas

14 outubro 2015 - 21h01

O presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, desembargador federal Fábio Prieto manteve a liminar concedida pela 1ª Vara Federal de Ponta Porã, que determinou a desocupação das propriedades pelos indígenas na região de Antônio João, sul do estado. A Funai( Fundação Nacional do Índio) havia alegado que os índios não estavam dispostos a saírem das áreas ocupadas e que pretendem resistir até a morte. Mesmo assim, o desembargador manteve a decisão anterior.

“Todos os grupos envolvidos nesta questão complexa - fazendeiros, colonizadores, grileiros, comunidades indígenas, empresas nacionais ou estrangeiras e entidades religiosas ou governamentais, entre outros - foram expostos ao inaceitável expediente", diz Prieto em seu despacho.

A Justiça Federal de Ponta Porã concedeu liminarmente a reintegração de posse das fazendas ocupadas, por entender que os guarani kaiowá, ao ocuparem mais de 300 hectares em Antonio João, descumpriram acordo judicial feito em 2006, que estabeleceu que eles poderiam permanecer na área de 30 hectares que já ocupavam.

Da redação

Deixe seu Comentário

Set 2

Leia Também

Levantamento aponta que MS está preparado para covid-19, mas faltam leitos hospitalares
Assaltante que já fingiu a própria morte e foi extraditado da Bolívia quer ir para presídio
EUA têm recorde mundial de mortos por Covid-19 em um dia
Motorista é arremessado para fora do carro após perder controle da direção e capotar
Homem é esfaqueado três vezes ao reagir a assalto em ponto de ônibus
Nelsinho defende Mandetta e diz que Bolsonaro está equivocado sobre Covid-19
Após ser contaminado por Covid-19, enfermeiro acusa e mata namorada
“Se eu for preso, eu te mato”: covarde, homem esgana e bate cabeça da mulher na parede
Militar de MS morre de coronavírus no Rio de Janeiro
Jovem é baleado por motociclista na Moreninha III