Menu
Busca sábado, 26 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Ladário celebra seus 238 anos de fundação em ritmo de desenvolvimento

02 setembro 2016 - 14h01

Conhecida como a Pérola do Pantanal, o município de Ladário, celebra neste 02 de setembro, seus 238 anos de história. Considerada uma das cidades mais antigas de Mato Grosso do Sul, o município possui uma história rica e prédios que retratam sua linha do tempo, como o antigo Cine Ladário, a Loja Maçônica, Centro Espirita, prédio da Lealdade e o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, marcas do passado que seguem trilhando o futuro de quem aqui chega.

Localizada na fronteira oeste do Brasil, no coração do Pantanal sul-mato-grossense, o município também mantém viva suas tradições, que ano a ano, vem crescendo, atraindo visitantes que se encantam com as manifestações culturais existentes na região e que mantidas pelos próprios moradores.

Uma das manifestações culturais mais aguardadas na Pérola do Pantanal é o Carnaval, tradicional por ser um dos melhores do Estado, o banho de São João nas Águas do rio Paraguai, que está em processo de tombamento histórico e a Festa de sua Padroeira, Nossa Senhora dos Remédios, que este ano, teve a sua imagem tombada como patrimônio histórico, cultura e religioso de Ladário.

A festa de Nossa Senhora dos Remédios é uma demonstração de fé, devoção e amor à santa, que faz parte e reforça cada vez mais a cultura do povo ladarense. É uma manifestação cultural e religiosa de maior destaque do Estado, unindo milhares de devotos de todas as partes do Brasil, em torno do Santuário.

Além disso, junto com o São João Pantaneiro, que inclui o Banho do São João no rio Paraguai, as festas ganharam novo impulso depois que a Prefeitura, estreitou os laços com a comunidade artística e cultural, adotando um novo modelo de valorização e difusão da cultura local, com investimentos em apresentações artísticas, profissionais e amadoras do próprio município, onde também se destaca a gastronomia local, buscando dessa forma não só incentivar o ladarense, como atrair turistas de todo o Estado.

Uma das apostas tanto para a economia, quanto para o turismo, é a APA- Baía Negra, antiga estrada da Codrasa, área de 5 mil hectares, às margens do rio Paraguai, ainda inexplorada e preservada, que representa um vasto campo de oportunidades para o turismo ecológico, de pesca e de contemplação, além de pousadas e sítios com pequenos produtores e pescadores que ocupam a região.

Para esta localidade, a Prefeitura tem um projeto de desenvolvimento sustentável, por se tratar de uma Área de Preservação Ambiental, que agora, aprovado em 2016, por meio da Portaria  n° 156/2016, determina a aprovação do Plano de Manejo da Baía Negra.

Os trabalhos terão início, focando no uso adequado dos recursos naturais, recuperação de áreas degradadas, programa de Educação Ambiental, que contemple a conscientização e a sensibilização quanto aos temas ambientais, garantindo a qualidade do local.

Ainda conforme o plano, o intuito é conservar as riquezas do bioma pantaneiro, bem como meios sustentáveis de uso dos recursos pela população, visando geração de renda e melhoria da qualidade de vida na região, bem como captação de recursos para implementação de projetos previstos no Plano de manejo, garantindo a sustentabilidade e melhor qualidade de vida dos moradores dessa região.

Por mais, o município, fundado em 2 de setembro de 1778 pelo sertanista João Leme do Prado, ganhou a sua emancipação político-administrativa tornando-se município autônomo durante o Governo de Fernando Correa da Costa em 1953, tendo a sua economia baseada diretamente na pecuária, na pesca, no turismo e mineração.

Além disso, um dos grandes avanços está no transporte de navegação, que traz o único terminal multimodal do Centro-Oeste, com acesso ferroviário, rodoviário e hidroviário, e que, ganhou da mineradora Vale, repassando ao município, o projeto executivo da Orla Fluvial.

Dividido em três trechos, que atendem os requisitos legais aplicáveis pelo município, obedecendo todos os segmentos dos trabalhos direcionados aos moradores ribeirinhos, do comércio beira rio, e aquelas pessoas que tiram o sustento do rio, o projeto prevê o que há de mais moderno em relação a Porto Fluvial.

Será construído um parque linear, de cerca de 700 metros de extensão, contando com uma academia ao ar livre; espaço para caminhada; prainha de banho para turistas e moradores; píer para embarque e desembarque de embarcações; local para a construção de estaleiros; posto de atendimento ao turista; espaço para eventos culturais; estacionamentos de veículos e de embarcações; pista de skate; passarela de madeira sobre o rio e a implantação de um chafariz com águas dançantes. O projeto está avaliado em R$ 11 milhões, sendo o município já tem assegurado R$ 1 milhão em recursos próprios.

Por todas essas conquistas, Ladário segue trilhando o caminho do desenvolvimento, preparando um futuro e gerando um presente totalmente apropriado para receber as famílias que aqui chegam, assim, como o Cristo, que junto a padroeira, abençoa sua gente. 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa PML

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

França abre investigação para apurar ataque com faca em Paris
Universidade oferece tratamento gratuito a pacientes com sequelas da covid-19
Reme ainda não tem prazo para retorno das aulas presenciais
Jovem de 22 anos perde controle de moto e morre na Salgado Filho
Bandidos não perdoam nem cavalos em Corumbá
Caminhoneiro de Dourados capota e morre na serra de Maracaju
AGU cobra na Justiça R$ 893 milhões de desmatadores da Amazônia
Ocupação de UTIs tem risco baixo em 17 estados e crítico no Rio e GO
Focos de calor no Tocantins seguem padrão do clima, diz Defesa Civil
SP fecha último hospital de campanha para tratamento de covid-19