Menu
Busca terça, 17 de setembro de 2019
(67) 99820-0742
Set

Embrapa e Prefeitura implantam “Quintal Agroecológico” na Codrasa

16 junho 2016 - 14h04

Os moradores da APA Baia Negra, localizada no município de Ladário receberam no mês de maio, o Dia de Campo “Quintal Agroecológico”, idealizado pela Embrapa-Pantanal, juntamente com município, por meio da Secretaria de Fomento ao Desenvolvimento Econômico e da Fundação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural.

O Quintal Agroecológico, é uma atividade do projeto “Sistemas Agroflorestais biodiversos, que traz a produção de alimentos, geração de renda e recuperação ambiental”, onde todas essas ações são executadas através da Embrapa, junto com seus pesquisadores, que auxiliam os moradores nas técnicas de manter o projeto vivo.

Além disso, o projeto é uma atividade coordenada pela Embrapa de Dourados, e quer apoiar o estabelecimento de sistemas que tenham produtos florestais, com valor para comércio e receitas da família, principalmente também resolvendo a questão da segurança alimentar. Todas essas características foram encontradas na Codrasa, chamando a atenção dos pesquisadores.  

Segundo o pesquisador da Embrapa Ubiratan Piovezan, que esteve junto com colegas da instituição durante o lançamento, no mês de maio, na região, a atividade era para ser desenvolvida no Pantanal, onde em 2015, técnicas de trabalho, técnicas de semeamento, tiveram início, mas devido à distância, não foi possível uma frequência de monitoramento dessas técnicas.

“Plantávamos e as mudas não ganhavam vida, não sabíamos se era uma questão hídrica, passarinho ou até mesmo praga. Chegamos à conclusão de que precisávamos de uma área mais próxima e de preferência representasse aquele solos do Pantanal, porque até hoje, não conhecemos nenhum sistema agroflorestal estabelecido nessa região. Após um encontro, resolvemos propor para a os moradores e eles aceitaram”, informou Ubiratan.

Para a diretora-presidente da Fundação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural de Ladário, Ligia Tiexeira Lopez, a iniciativa é muito bem vinda, não apenas para os produtores, como para o município, já que os trabalhos estão respaldados junto ao Plano de Manejo, recentemente implantado na região da Apa.

“Ele está como primeiro projeto dentro do plano de manejo, seria importante, porque visa a agricultar familiar, com a implantação de suprimento, árvores frutíferas, que servem para alimentação, raízes, entre outros. Acredito que complemente a legislação da agricultura família, sem contar que é um estimulo a mais para as famílias, garantindo que ela tenha alimento, para seu auto sustento, até mesmo por conta da preservação da margem da área”, falou Ligia lembrando que a intensão é levar o projeto para todas as propriedades desta localidade.

O objetivo de todo o trabalho é promover a segurança alimentar dos moradores, através de um quintal agroflorestal suscessional, que atenda as restrições de uso de solo em uma Área de Preservação Ambiental, ao mesmo tempo de gerar produtos úteis aos moradores. A agroecologia é uma modalidade de atividade agrícola que prima observar processos ecológicos naturais em sistemas agrícolas ou florestais, com vistas à geração de produtos.

O projeto está localizado dentro da propriedade da assentada Zilda dos Santos, que recebeu espécies arbóreas, nativas também, além de algumas fruteiras, como Mangueira, Goiabeira. Além disso, serão plantadas árvores fruteiras nativas, como o Jatobá, Cumbarú, Manduví, alinhando um sistema de conservação, por se tratar de árvores nativas, visando à preservação da fauna, meio ambiente. (Com informações assessoria de imprensa PML)

 

Fonte: Leonardo Cabral (Colaboração)

Deixe seu Comentário

TECNODENTAL
Set 2

Leia Também

Bolsonaro tem alta e deixa hospital em São Paulo
WWF-Brasil lança concurso de fotografia para destacar as belezas naturais do Pantanal e da bacia do Alto Paraguai
Violência por dizer “não” ao ex-namorado fez Ana largar tudo e sair pelo mundo
Dica da semana: "O Homem que Viu o Infinito"
MS registrou 2.070 focos de calor em setembro, segundo dados do Inpe
Em 12 horas, queimadas destruíram 200 hectares em Bodoquena
Sem poder doar medula para Calebe, mãe quer alguém compatível para livrar seu filho da leucemia
Mato Grosso do Sul é o segundo no País com mais abates de bovinos
Homem leva mordida de cão, exige desculpas do vizinho e denuncia crime em MS: 'Coloca vinagre que é bom'
Marido quer que mulher aborte bebê só porque é uma menina