Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Audiência nesta sexta debate infraestrutura e segurança das pontes do Paraguai

07 abril 2017 - 14h25Por Assessoria de Comunicação da Câmara

Infraestrutura e segurança das pontes do Rio Paraguai serão temas de debates nesta sexta-feira, 07 de abril, durante audiência pública no plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Corumbá, a partir das 15 horas.

A audiência é uma inciativa do vereador Domingos Albaneze Neto (PV) e vai reunir autoridades dos mais diferentes segmentos da sociedade que poderão debater questões importantes relacionadas às pontes sobre o Rio Paraguai existentes na região do Morrinho, rodoviária; de Porto Esperança, ferroviária, como também a existente na área urbana de Corumbá, da captação de água bruta, no Canal do Tamengo.

Segundo o vereador, este evento possibilitará um amplo debate sobre as situações dessas pontes, no sentido de se buscar soluções para os problemas já existentes, bem como prevenir futuros desastres que possam causar sérios transtornos à população pantaneira.

A audiência contará com as presenças de vereadores além de representantes da Marinha do Brasil, do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/MS), secretarias de Meio Ambiente e Infraestrutura, prefeituras de Corumbá e Ladário, armadores, além de deputados estaduais e federais.

Entre as questões que serão debatidas está a necessidade da reconstrução do dolfin na ponte da BR 262, principal acesso por terra a outras regiões do País. Um acidente ocorrido anos atrás, causou sérios problemas à estrutura da ponte e há necessidade de reconstruir o dispositivo de segurança que protege os pilares de colisões. Como isto não ocorreu, em outro acidente mais recente, o choque foi direto com os pilares, causando problemas na estrutura da ponte que foi interditada.

Outra questão está na região urbana, na ponte da captação de água, principal acesso à Bolívia, pelo rio. Domingos diz que é preciso pensar um projeto, executar as obras necessárias, para evitar desastres antes que aconteça um acidente grave, o que poderia interromper a captação de água bruta, deixando toda a cidade sem água potável.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mulher de 52 anos é autuada após colocar fogo em lixo de terreno
Hamilton Mourão rebate críticas às queimadas
Vice-presidente do Flamengo defende volta da torcida aos estádios
Em diligência no Pantanal, senadores dizem que cenário é devastador
Xuxa avisa que vai deixar a Record no fim do ano: 'infelizmente'
Motorista da Uber furta calça jeans, confessa crime
Brasil tem 739 mortes pela covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde
Chuva não chega em Corumbá, mas na Bolívia tem até temporal e nevasca
Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Governo brasileiro confirma intenção de aderir à Covax