Menu
Busca terça, 01 de dezembro de 2020
(67) 99820-0742

Assistência Social vai potencializar atendimento oferecido às famílias mais carentes

25 janeiro 2017 - 13h20

Além de garantir a manutenção de todos os serviços destinados às famílias em situação de vulnerabilidade social de Corumbá, a Secretaria Municipal de Assistência Social quer criar condições para reinserir essas pessoas na sociedade. Para isso, a principal meta da pasta chefiada por Haroldo Waltencyr Ribeiro Cavassa é potencializar e integrar o trabalho de todas as secretarias municipais.

 

“O principal desafio que temos agora é a articulação com as demais secretarias para buscar, juntos, atingirmos as metas determinadas pelo prefeito Ruiter. Estamos fazendo um plano de trabalho para esse ano de 2017, traçando algumas metas e a integralidade de toda a Prefeitura Municipal vai ser o grande desafio para alcançarmos nossos objetivos”, afirmou Haroldo.

 

“Nosso desafio enquanto Assistência Social, claro, é atingir a população que mais precisa. Em Corumbá, não só pela crise que hoje afeta o País inteiro, está passando por situações difíceis, principalmente em relação ao desemprego. Muitas pessoas estão enfrentando esse problema. Também por isso precisamos estar em articulação com as demais secretarias para potencializar nosso trabalho e vislumbrar melhorias na vida dessas pessoas”, reforçou o secretário.

 

Servidor de carreira da Secretara Estadual de Fazenda, Haroldo participou ativamente das duas gestões anteriores do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira. Foi adjunto da Secretaria de Finanças, secretário de Governo e secretário de Assistência Social. Com a experiência adquirida na área, Haroldo já definiu as ações que serão desencadeadas com prioridade. Uma delas refere-se à capacitação profissional e o encaminhamento para o mercado de trabalho.

 

“Estamos revendo nosso trabalho com relação ao Centro Profissional Dom Bosco. Para que a possamos potencializar as ações da Assistência Social, principalmente para as pessoas que estão em risco social ou à margem da sociedade, não basta o atendimento nos CRAS, mas sobretudo dar um encaminhamento para essas pessoas que precisam ser realmente absorvidas pelo mercado de trabalho”, explicou.

 

Outra meta é melhorar o atendimento oferecido à população nos CRAS. “Temos em Corumbá sete CRAS, cinco na área urbana e dois para zona rural e ribeirinha. A maioria hoje está com falta de pessoal. A gente vai ter que fazer concurso e, mais emergencialmente, contratações por tempo determinado com relação a assistentes sociais, psicólogo e demais funcionários da parte técnica, para que tenhamos um melhor atendimento no CRAS. A situação não é diferente também com relação ao CREAS e ao Centro Pop”.

 

Nesses dois últimos órgãos, a ampliação do trabalho com pessoas em situação de rua e dependentes químicos é outro objetivo da gestão. “Vamos fazer uma busca ativa das pessoas que se encontram nessas situações. Verificamos muitos indivíduos em trânsito aqui por Corumbá, que acabam buscando uma autonomia econômica através de trabalho feito na rua: malabares, apresentações, etc. Temos que ajudar essas pessoas para que elas voltem ao seu local de origem”, continuou Haroldo.

 

A Assistência Social deve reforçar uma política pública Intersetorial para atingir de maneira eficiente a inclusão dos idosos e das pessoas portadoras de deficiência. “Vamos manter um atendimento focado nesse setor, principalmente dando o exemplo dentro da própria administração municipal com acessibilidade garantida em todos os nossos prédios e conscientizando a população da importância desse atendimento”, garantiu Haroldo.

 

Haroldo quer ainda reforçar a parceria da Assistência Social com o Ministério Público Estadual, a Defensoria Pública e as entidades assistenciais da cidade. “Eles são imprescindíveis. Por exemplo, o Asilo são José: é nosso braço direito, nosso esteio no tratamento, no acolhimento e no amparo de nossos idosos. Temos também a Marisa Paggee a CRIPAM, que também fazem um trabalho muito importante no acolhimento das crianças. As demais também, como APAE, Equoterapia, que vamos continuar firmando essas parcerias, estreitando esse trabalho nesse cofinanciamento que existe entre o Município e essas instituições”, finalizou. (Assessoria de Comunicação PMC)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mais de 99 mil pessoas foram infectadas pela covid-19 em MS
Dezembro traz chuva e aumento na umidade do ar
R$ 4,79: MS tem gasolina mais cara do Brasil, segundo levantamento
Mãe abandona crianças de 2 e 6 anos sozinhas para usar drogas no Vida Nova
Mãe tirou foto da filha momentos antes de ela morrer eletrocutada por decoração
Idosa é morta a facadas e tem casa queimada; principal suspeito é marido, que está internado
Funcionários de terceirizada da Energisa entram em greve por tempo indeterminado
Pedreiro e adolescentes mataram vizinho no Nova Lima em briga por registro de água
Agepan inicia mais uma campanha de fiscalização da geração de energia elétrica
Farmacêutica dos EUA vai solicitar uso emergencial de vacina contra Covid-19 no país e na Europa