Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
(67) 99820-0742
Set

Exército mata onça no local de passagem da tocha olímpica em Manaus

21 junho 2016 - 15h36

O Comando Militar da Amazônia, subordinado ao exército brasileiro, informou nesta segunda-feira que uma onça foi abatida em Manaus depois de escapar em um zoológico militar na cidade. O animal abatido havia participado do revezamento. 

O próprio exército exibiu mais cedo, no mesmo local, algumas onças acorrentadas. Os animais haviam posado para fotos e interagido com o público na cerimônia olímpica. Ao final do evento, um dos felinos acabou ameaçando uma fuga, o que foi testemunhado por pelo menos um condutor da tocha, conforme relatado ao UOL Esporte.

“A onça estava na minhas costas”, disse o fisioterapeuta Igor Simões, que carregou a chama olímpica no local. “Quando ela foi voltar à caminhonete, no final de tudo, alguma coisa aconteceu e ela se soltou. Mas já não tinha muita gente perto.” Nesse momento, o animal foi recapturado rapidamente.

Horas depois, o Comando Militar da Amazônia publicou uma nota oficial dizendo que uma das onças sob sua guarda escapou e precisou ser abatida com um tiro de pistola. Ainda de acordo com o órgão, a onça havia tentado atacar um dos militares que tentavam recapturá-la.

O que disse o exército:

“Uma equipe de militares composta de veterinários especializados no trato com o animal foi ao encontro [da onça] para resgatá-la. O procedimento de captura foi realizado com disparo de tranquilizantes. O animal, mesmo atingido, deslocou-se na direção de um militar que estava no local. Como procedimento de segurança, visando a proteger a integridade física do militar e da equipe de tratadores, foi realizado um tiro de pistola no animal, que veio a falecer.

O Comando do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) já determinou abertura de processo administrativo para apurar os fatos.”

Mascotes

O zoológico do Cigs conta com pelo menos seis onças-pintadas, que são consideradas mascotes dos grupamentos militares que agem no local. Algumas delas vivem em cativeiro desde filhotes e, adestradas, são frequentemente usadas em eventos oficiais, em desfiles e datas comemorativas.

 

Fonte: UOL Olimpíadas 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Bebê é achado morto em quarto de hotel; pais estão detidos
Em Dourados, médicos têm salários reduzidos durante a pandemia
PF faz novas buscas na casa de jornalista bolsonarista preso em Campo Grande
Portador de Alzheimer, Luiz desapareceu na Piratininga e filho pede ajuda para encontrá-lo
Infectada pela covid, mãe morre no parto e bebê sobrevive em Dourados
PMs flagram homem carregando cabeça decepada em SP
Corpo achado no Rio Paraguai segue sem identidade nem procura de familiares
Brasil tem mais 1.290 falecimentos por causa da covid-19
Com 16 mortes em 24h, MS vai a 107 óbitos por coronavírus e 9.388 doentes
Saúde compra 20 mil exames para diagnóstico de coronavírus pelo valor de R$ 377 mil