Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Festeiros de São João são certificados como agentes municipais de cultura

22 junho 2016 - 14h19

Oitenta e quatro festeiros de São João foram certificados como agente municipal de Cultura pela Prefeitura Municipal de Corumbá, por meio da Fundação de Cultura, na noite desta terça-feira, 21 de junho. Reunidos no pátio da Casa de Cultura Luiz de Albuquerque (ILA), homens e mulheres de diversas idades quem mantem a tradição dos festejos do santo junino mais celebrado em Corumbá, ouviram da vice-prefeita, Márcia Rolon, e do diretor-presidente da Fundação de Cultura, Joílson Cruz, o papel vital que desempenham para a manutenção da fé e cultura do povo corumbaense.

“A Prefeitura vem honrando o compromisso que possui em preparar um trajeto mais enfeitado, em ajudar a cidade na organização do trânsito, de deixar a rua Manoel Cavassa com shows e praça de alimentação, mas quem faz a festa são vocês, ela só tem valor porque vocês a preparam em seus rituais de fé em casa e levam ao conhecimento de toda a cidade na descida da ladeira Cunha e Cruz”, disse Joílson.

“É uma festa popular, da comunidade, é feita de vocês e para vocês. A Prefeitura só joga o tapete. A festa não é da Prefeitura, independente dela colocar decoração, show, vocês são os devotos que descem com o andor, que é aquilo que torna essa festa diferente de todas existentes no país. Esse certificado entregue desde 2013 reforça que vocês são os nossos agentes municipais de cultura, que fazem a festa”, comentou a vice-prefeita Márcia Rolon ao lembrar que essa característica singular atrai muitos visitantes de outras cidades para presenciar esse momento único de devoção.

A festeira Maria Divina Delgado foi uma das primeiras a receber o certificado e contou como surgiu para ela a devoção em São João. “Minha filha ficou muito doente, ficou desenganada e pedi a cura para São João. Ela tem 42 anos, é cadeirante, mas vai todo ano comigo na festa e desce a ladeira. Para nós que somos festeiros temos que guardar com muito carinho esse certificado que é um símbolo”, disse a senhora que realiza a festa no bairro Aeroporto.

De outro canto da cidade, o bairro Cristo Redentor, o festeiro Anderson José de Souza, bairro Cristo Redentor, resolveu fazer a festa para São João não para retribuir uma graça alcançada, mas pela fé sincrética que carrega consigo.

“Sou umbandista e resolvi fazer a festa para homenagear Xangô das Pedreiras que, no sincrestismo, é São João. Minha mãe é festeira já faz tempo e daí, a gente se reúne na casa dela para a reza com outros festeiros e andores, somos, no total, uns sete a oito andores que descemos todos juntos para o rio Paraguai”, disse o festeiro.

Junto ao certificado de agente cultural, os festeiros recebem um benefício financeiro que, geralmente, é utilizado para incrementar o ornamento dos andores que descem a ladeira Cunha e Cruz rumo à prainha do Porto Geral para num ato simbólico banhar, entre a noite de 23 e a madrugada de 24 de junho, a imagem de São João representando a passagem bíblica do Batismo.

Em toda a cidade, há registro de mais de cem festejos espalhados por diversos bairros. A maioria segue a tradição de banhar a imagem do santo nas águas do rio Paraguai que, para os devotos, torna-se milagrosa na noite de festejos dedicados a São João. Esse ato de fé, que mistura o sacro e profano, é reconhecidamente patrimônio cultural imaterial do Estado de Mato Grosso do Sul e pleiteia, junto ao IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), o título de patrimônio imaterial cultural do Brasil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia Militar de Corumbá prende homem foragido da justiça durante rondas
Ao contrário do esperado, fronteira teve apenas alguns pontos reabertos
Pai espanca filho e alega 'nervosismo' no Aero Rancho: ele deve R$ 1 mil de pensão
PF deflagra operação após bloqueio de R$ 730 milhões de facção
Idosa com Covid-19 passa mal e morre em casa no Nova Lima
Idosa é ameaçada por filho de 39 anos e recusa ajuda da polícia em Dourados
Ministério da Agricultura vai investigar 'sementes misteriosas' vindas da China
Rapaz dorme na margem do rio Anhanduí e cai de altura de oito metros
Com cachorro no colo, Bolsonaro sanciona pena maior para maus-tratos a animais
Avião de pequeno porte cai em Camapuã