Menu
Busca sábado, 26 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Em Ladário, “Feira Criaticidade” abre espaço, proporciona cultura e estimula trabalhos de artistas local

09 agosto 2016 - 18h31

Ladário, como todos sabem, é uma cidade que abriga grandes artistas, e, para que se tornem cada vez mais conhecidos e reconhecidos por seu trabalho, a Fundação de Cultura em parceria com a Secretaria de Assistência Social, criou um projeto intitulado “Criaticidade”. A última edição aconteceu nesta sexta-feira (05) na Avenida 14 de Março, em frente a Casa da Cultura. 

O evento tem como propósito fomentar a cultura local, bem como por meio de intervenções artísticas, mostrar o potencial do povo ladarense com relação à arte, bem- estar, cultura e tradições de um povo alegre e receptivo.

Iniciado em Abril, a “Criaticidade”, vem ganhando mais expectadores a cada edição, sempre realizada na primeira semana do mês. Os artistas assíduos na feira cultural também são o ponto forte do evento, e cada um com sua especialidade traz a variedade de elementos oferecidos ao público.

No artesanato a criatividade das Mulheres de Fibra que trazem a arte através dos atributos do camalote; do Cururueiro Sebastião de Lima Brandão com suas violas de cocho; da Migdônia Noguera com o sabão artesanal; Mariliart com as bolsas artesanais; Dariliart com a delicadeza das bonecas em E.V.A; e a Geração de Renda coordenada pela Secretaria de Assistência Social, orientada pelas professoras Leonor, Maria Aparecida e King com suas artes feitas com materiais recicláveis.

As fotos com as belezas de Ladário são responsabilidade do fotografo Luiz Soares Braga. As artes plásticas foram representadas por Eumar Apontes, Ernani da Costa Arruda, Célia Regina de Souza  e Emiliano Magalhães.

O paladar dos visitantes é acariciado com as deliciosas comidas típicas trazidas nas edições da Criaticidade. O macarrão de comitiva que é um prato vencedor de concurso estadual é oferecido por Aparecida Cavasana; o Saravulho iguaria pantaneira é feito por Helson Alba; o pastel pantaneiro fica por conta da Utélia Noguera; a costela pantaneira típica comida de fazenda é trazida por Tatiane Rondon e Gaúcho; já a Maria Helena oferece ao público o escondidinho de carne seca; Fátima Aparecida inova com a empada de carne seca; o bolo de banana que não pode faltar ficou por conta de Clemilda Cunha.  As integrantes da Economia Solidária Maria Helena e Romilda trouxeram para o cardápio bolos, queijos, leite e doce de leite caseiro, já Eliza Vasquez e Lucila levaram o arroz carreteiro. A galinhada foi feita por Liziane e Ana Clara; Fátima Soares e Vitorina trouxeram para a feira cultural o famoso caribel que é uma comida feita a base de carne e mandioca e o pacú frito. E para finalizar o extenso cardápio o Centro de Referência de Assistência Social completou os quitutes com o soleado de carne seca.

“É uma mistura cultural, que envolve não apenas comidas, bebidas típicas, mas também, proporciona espaço para os nossos artistas poderem mostrar seu trabalho, melhor dizendo, seu talento. Além disso, queremos trazer esse movimento cultural para praça pública, buscando difundir os costumes e tradições locais, reforçando a identidade do povo ladarense”, falou a diretora-presidente da Fundação de Cultura Wanessa Rodrigues.

Com a ideia de integralizar os ladarenses e fomentar a cultura pantaneira as atrações culturais são abertas ao público e na edição de agosto, a música ficou por conta Miltinho Santos, Jane Contu, Creuza Elizabeth da Matta, Mathilde Mônaco, Milena Mônaco, Sub Nelson, Socrinha, Alzinete França e Aline Helene França. A arte da performance corporal foi abordada pelo grupo de teatro Tesouro Pantaneiro e Rafael Freitas com o Hip Hop.  As declamações de amor a Ladário e textos próprios foram expostas por Acylino Ferreira (Chumbo Grosso), José Antônio dos Santos e Mathilde Mônaco.

O ‘Criaticidade’ do mês de agosto teve em sua edição uma participação especial com um tema relevante a sociedade que é o 10° aniversário da Lei Maria da Penha.  A Superintendente de Políticas Públicas paras Mulheres, Creuza Elizabeth da Matta aproveitou o momento de descontração e confraternização para abordar de forma leve e expressiva a importância desta data para o país inteiro.

 

Fonte: Assessoria PML

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGU cobra na Justiça R$ 893 milhões de desmatadores da Amazônia
Ocupação de UTIs tem risco baixo em 17 estados e crítico no Rio e GO
Focos de calor no Tocantins seguem padrão do clima, diz Defesa Civil
SP fecha último hospital de campanha para tratamento de covid-19
Intenção de consumo das famílias volta a crescer após cinco quedas
SP subsidia compra de computador para professor da rede estadual
Intenção de consumo das famílias volta a crescer após cinco quedas
São Paulo anuncia ampliação de testes da fase 3 da vacina CoronaVac
Lei prorroga incentivo fiscal para exportadores durante pandemia
Polícia do Rio desarticula grupo que aplicava golpe da casa própria