Menu
Busca sexta, 10 de julho de 2020
(67) 99820-0742
Set

Reinaldo assina lei que garante 20% das vagas para negros em concursos do Governo do Estado

22 junho 2016 - 15h43

O governador Reinaldo Azambuja assinou nesta terça-feira (21) um projeto de lei que altera a Lei Estadual 3.594, de 10 de dezembro de 2008, adequando a nova legislação com parâmetros federais. Com a nova redação, proposta pelo executivo estadual e que entra em vigor com sua publicação no Diário Oficial do Estado, as cotas para negros em concursos do Executivo passam de 10% para 20% das vagas. A solenidade de assinatura foi realizada no auditório da governadoria, na Capital.

“Encaminhamos o projeto de lei para a Assembleia Legislativa e, com o apoio dos deputados e deputadas, vamos conseguir ampliar as oportunidades para que toda a comunidade negra de Mato Grosso do Sul tenha mais possibilidade de acesso ao serviço público. Isso é cidadania”, disse o governador. Reinaldo afirmou ainda que a luta para que não haja nenhum tipo de discriminação, oportunizando uma vivência em plenitude, deve ser permanente.

Falando em nome da Assembleia Legislativa, o deputado Amarildo Cruz parabenizou a atitude do governador. “Estou extremamente satisfeito com a postura do Governo do Estado. Essa questão [projeto de lei] é uma questão das pessoas de bem”, ressaltou.

Carlos Versoza, subsecretário da Subsecretaria de Políticas Públicas para Promoção da Igualdade Racial e Cidadania (Subpirc), pasta ligada à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), considera a nova redação um avanço. “Com certeza é um avanço dentro das políticas de cotas, o que possibilitará ainda mais o acesso ao serviço público e a subtração de uma dívida histórica para com os negros do Brasil”, ressalta.

Titular da Sedhast, Elisa Cleia Nobre vê na ampliação o compromisso do Governo do Estado em estabelecer políticas públicas que assegurem a todos os segmentos uma participação efetiva dentro da administração pública. “Mais do que dobrar o percentual, o ato mostra um reconhecimento prático de que precisamos oportunizar e dar condições iguais para todos”, afirma.

Para o representante do Conselho Estadual dos Direitos do Negro (Cedine/MS), Ilacir Galvão, além da reparação histórica, o momento destaca e permite avanços nas políticas de cotas e não causam nenhum tipo de privilégio. “Muitas pessoas acreditam em privilégio, mas considero o ato como uma reparação e oportunização, dentro de um prazo pré-estabelecido, para a igualidade”, afirmou.

Também participaram do ato de assinatura representantes do movimento negro; Ministério Público Estadual; Poder Judiciário; executivos e legislativos de municípios de Mato Grosso do Sul, além de descentes quilombolas de comunidades de Campo Grande.

Negros em MS

Dados do Censo de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que, dos 3.035.122 sul-mato-grossenses, 1.820.597 se autodeclararam pretos e pardos.

Fonte: Notícias MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS passa dos 12 mil casos de coronavírus e registra 146 mortes pela doença
Avó de esposa de Bolsonaro continua internada com coronavírus
MPMS vai investigar denúncias de irregularidades em ‘curso de bombeiro mirim’ em Campo Grande
Proibida de participar de licitação, empresa ganha pregão de R$ 60 milhões com a Sefaz-MS
Presidente da Bolívia testa positivo para covid-19
Duas jovens paulistas são presas em MS com malas recheadas de maconha
OMS manda especialista para investigar origem da Covid-19 na China
Frio começa a ir embora no fim de semana em Mato Grosso do Sul
Exame particular da covid-19 pode custar entre R$ 160 e R$ 300 na Capital
Seleção oferece vaga para assistente social com salário de R$ 3,1 mil em MS