Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Aula inaugural vai abordar a operação Lava-Jato nesta sexta-feira no Salomão Baruki

27 abril 2017 - 15h52Por Assessoria de Comunicação da PMC

Será realizada nesta sexta-feira, 28 de abril, às 19h30, no auditório Salomão Baruki, a aula inaugural “Lava-jato, Estado de direito e o futuro do Brasil”, pelo doutor em direito penal, Luiz Flávio Gomes. O evento é gratuito e as vagas são limitadas. As inscrições podem ser realizadas na sede da OAB em Corumbá ou no site da Escola Superior de Advocacia.

 

A palestra, que acontece em parceria entre Escola Superior de Advocacia, Ordem dos Advogados do Brasil e com o apoio da Prefeitura de Corumbá, vai abordar a operação contra corrupção que leva o nome mais conhecido dos últimos tempos: Lava-Jato, que decorre do uso de uma rede de postos de combustíveis e lava a jato, que movimentava recursos ilícitos pertencentes a uma das organizações criminosas inicialmente investigadas. Embora a investigação tenha avançado para outras organizações criminosas, o nome inicial se consagrou.

 

O principal objetivo do evento é trazer a discussão ao público, dado o interesse social do tema. “Considero a Operação Lava Jato uma revolução desarmada no Brasil. Por encarcerar poderosos da política e do empresariado, a Lava-Jato poderá equiparar-se à Operação Mãos Limpas, a mais profunda investigação anticorrupção da história, que levou à cadeia 2 mil pessoas na Itália, nos anos 1990”, analisa o jurista Luiz Flávio Gomes. 

 

Lava-Jato: maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro que o Brasil já teve

 

Estima-se que o volume de recursos desviados dos cofres da Petrobras, maior estatal do país, esteja na casa de bilhões de reais. Soma-se a isso a expressão econômica e política dos suspeitos de participar do esquema de corrupção que envolve a companhia.

 

No primeiro momento da investigação, desenvolvido a partir de março de 2014, perante a Justiça Federal em Curitiba, foram investigadas e processadas quatro organizações criminosas lideradas por doleiros, que são operadores do mercado paralelo de câmbio. Depois, o Ministério Público Federal recolheu provas de um imenso esquema criminoso de corrupção envolvendo a Petrobras. No esquema, que dura pelo menos dez anos, grandes empreiteiras organizadas em cartel pagavam propina para altos executivos da estatal e outros agentes públicos. 

 

Sobre o palestrante 

 

Luiz Flavio Gomes fundou a rede de ensino LFG, a primeira rede de ensino tele presencial da América Latina. Através de sua rede, foram ministrados cursos preparatórios tele presenciais para concursos públicos, com foco em carreiras jurídicas e fiscais. Foi policial militar, delegado de polícia, promotor de justiça em São Paulo, juiz de direito e advogado.

Doutor em Direito Penal pela Faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madri e mestre em Direito Penal pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, Luiz Flavio tem experiência como professor de Direito Penal e Processo Penal nos cursos de pós-graduação da Facultad de Derecho de la Universidad Austral (Argentina) e na Unisul, de Santa Catarina. É professor honorário da Faculdade de Direito da Universidad Católica de Santa María (Peru).

 

Inscrições

 

O evento é gratuito e as vagas são limitadas. As inscrições podem ser realizadas na sede da OAB em Corumbá ou no site da Escola Superior de Advocacia.

www.esams.org.br

OAB em Corumbá: Rua América, 1951. Aberto entre 8 horas e 11h30 e; 13 e 18 horas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Libertadores: Líder do Grupo G, Santos enfrenta o Delfín no Equador
Justiça autoriza retorno das aulas no Colégio Militar do Rio
Projeção de crescimento do crédito em 2020 sobe para 11,5%
Araújo diz que declarações de Pompeo foram alvo de má tradução
Salles inspeciona áreas em Mato Grosso atingidas pelo fogo
Operação Covid-19 mobilizou quase 30 mil militares em seis meses
MP e Volkswagen firmam acordo para reparar violações no regime militar
CIEE lança programa para capacitar estudantes do ensino médio
Senador conquista R$ 38 milhões da União para MS
Áreas de biomas brasileiros caíram 8,34% entre 2000 e 2018