Menu
Busca terça, 22 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Pulverização do controle da Vale causa preocupação em Corumbá

10 março 2017 - 14h22Por Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Corumbá

Proposta do novo acordo de acionistas da Vale está causando preocupação em Corumbá e isto fez com que a Câmara Municipal de Vereadores aprovasse requerimento do vereador Luciano Costa (PT), solicitando convocação do gerente da mineradora na região, Olemar Tibães, para mais esclarecimentos sobre o assunto.

Como se sabe, acionistas da Vale durante reunião na Valepar, holding que controla a mineradora, apresentaram proposta para pulverizar seu controle, de modo a poder listá-la no Novo Mercado, o mais alto nível de governança da BM&FBovespa, o que deve ocorrer após três anos.

Durante este tempo, a estrutura societária da empresa passará por um período de transição em que os atuais acionistas no bloco de controle perdem poder, e o Conselho de Administração da empresa ganha autonomia.

A proposta do novo acordo já foi classificada como um marco tão importante quanto a privatização da Vale. O acordo atual da Valepar foi assinado em 1997, quando a Vale foi privatizada, e tinha 20 anos de duração. Da forma que foi redigido, ele mantinha forte influência do Estado sobre a empresa, uma vez que a Valepar era controlada por fundos de pensão de estatais que, ao lado do BNDES, detinham maioria na holding.

Além disso, havia uma classe especial de ações de propriedade do governo brasileiro, as golden shares, que asseguravam poder de veto sobre matérias como alteração da sede da empresa e venda ou encerramento de qualquer das etapas da exploração de minério de ferro, incluindo reservas do mineral e os modais para transportá-lo, como ferrovia e portos.

“Sabemos que a Vale é a maior empresa arrecadadora de impostos e geradora de emprego e renda em nosso Município. Cave a nós sabermos quais benefícios estas mudanças vão trazer para a cidade, especialmente nas áreas de geração de emprego, investimentos, quais são estes investimentos, bem como o tempo de investimento”, disse o vereador.

Conforme ele, “um dos diretores das atuais controladoras, disse que a previsão é multiplicar o capital investido na Vale. Sendo assim, queremos saber, conhecer detalhes em relação à mineradora em nossa cidade, qual é a perspectiva de investimento aqui, até porque já perdemos muito em arrecadação do ICMS do gás, e o que nos resta é o minério de ferro”, completou.

Em seu requerimento, Luciano solicita tanto o prefeito Ruiter Cunha, como também o governador Reinaldo Azambuja, intervenham nessa questão, bem como busquem informações junto à diretoria da Vale, no sem tido de apurar todas as questões relacionados a esta proposta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Candidatos à prefeitura tentam levar “Bolsonaro” a tiracolo na campanha em Campo Grande
Bolsonaro diz que Brasil é exemplo ambiental para o mundo
PM prende casal armado passeando de carro em Campo grande
Ferida com tiro no nariz, menina de 7 anos está consciente na Emergência da Santa Casa
Motociclista se corta em arame de fazenda e morre na Santa Casa
Brasil registra 739 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas
Trabalhadores nascidos em dezembro recebem hoje crédito do FGTS
Filho morre de covid-19 oito horas após a mãe em Santa Catarina
Mercado financeiro reduz projeção de queda da economia para 5,05%
Mulher que matou o marido com facada pode estar grávida do falecido