Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Pesquisa de preço aponta variação de até 32% nos ovos de Páscoa

03 abril 2017 - 23h09Por Assessoria de Comunicação PMC

A Prefeitura de Corumbá, por meio Procon, realizou pesquisa de preços dos principais produtos consumidos na Semana Santa e Páscoa, apontando ao consumidor, os preços praticados no comércio local. Este ano, a pesquisa foi desenvolvida em cinco supermercados da cidade e, conforme a diretora-executiva do Procon, Andréa Sampaio, em 2017, foi verificada a diminuição de ofertas no comércio, devido, principalmente à crise que o país sofre. "Alguns estabelecimentos optaram por não oferecer ovos de Páscoa, diante do índice de perda" analisou Andréa.

 


A pesquisa foi realizada esta semana no Atacado Fernandes, Supermercados Quadri, Supermercado Frey, Mercadinho 2000 e MS Frios. O MS Frios informou à equipe do Procon que não está comercializando ovos de Páscoa, pois, de acordo com o estabelecimento, a alta temperatura gera um volume significativo de perdas. No entanto é o estabelecimento com maior variedade de peixes e produtos tradicionais da Páscoa em geral.

 

A maior variação de preços de ovos de Páscoa chega a 32,80% e o produto é o Ovo Lacta ao Leite, da marca Lacta, que foi encontrado no valor de R$ 28,60 em um estabelecimento, e R$ 37,98 em outro.

 

Dos supermercados pesquisados, dois apresentam o maior número de ovos com o menor preço, Quadri e Fernandes. “Apesar de compreendermos que a momento da Páscoa faz com que os consumidores a comprem Ovos, o Procon de Corumbá, buscou alternativas que pudessem ajudar a população a não deixar de consumir o chocolate, um dos símbolos desta data comemorativa. Assim, tivemos a iniciativa de pesquisar o preço das barras de chocolate, que podem substituir o ‘Ovo de Páscoa’ e não deixando de praticar a tradição.”, explicou Andréa. Já os produtos como peixes e frango, a maior variedade é no Frey e no MS Frios.

 

A variação no valor das barras de chocolate em relação aos ovos aferidos por peso (gramas) foi de 370%. “Analisarmos o preço, por exemplo, de uma barra de chocolate Diamante Negro (170g), R$ 8,25, e o Ovo Diamante Negro (320g), R$ 51,55, consumindo a mesma quantidade de chocolate, a economia será de R$ 37,72 comprando uma barra. Portanto, o preço que se paga pelo ‘momento Páscoa’ supera em muito o valor real e comercial do mesmo produto só que em formato diferenciado”, observou.

 

Quanto aos demais produtos consumidos nessa época do ano, o bacalhau apresentou uma variação de 93,06% e o Pacu chegou a mais de 140%. Além dos produtos citados entraram também na pesquisa o atum e sardinha em lata, frango inteiro, sardinha congelada in natura, fubá saboró e queijo, todos utilizados e consumidos tradicionalmente na região na Semana Santa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mulher de 52 anos é autuada após colocar fogo em lixo de terreno
Hamilton Mourão rebate críticas às queimadas
Vice-presidente do Flamengo defende volta da torcida aos estádios
Em diligência no Pantanal, senadores dizem que cenário é devastador
Xuxa avisa que vai deixar a Record no fim do ano: 'infelizmente'
Motorista da Uber furta calça jeans, confessa crime
Brasil tem 739 mortes pela covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde
Chuva não chega em Corumbá, mas na Bolívia tem até temporal e nevasca
Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Governo brasileiro confirma intenção de aderir à Covax