Menu
Busca sexta, 27 de novembro de 2020
(67) 99820-0742

Pesquisa de preço aponta variação de até 32% nos ovos de Páscoa

03 abril 2017 - 23h09Por Assessoria de Comunicação PMC

A Prefeitura de Corumbá, por meio Procon, realizou pesquisa de preços dos principais produtos consumidos na Semana Santa e Páscoa, apontando ao consumidor, os preços praticados no comércio local. Este ano, a pesquisa foi desenvolvida em cinco supermercados da cidade e, conforme a diretora-executiva do Procon, Andréa Sampaio, em 2017, foi verificada a diminuição de ofertas no comércio, devido, principalmente à crise que o país sofre. "Alguns estabelecimentos optaram por não oferecer ovos de Páscoa, diante do índice de perda" analisou Andréa.

 


A pesquisa foi realizada esta semana no Atacado Fernandes, Supermercados Quadri, Supermercado Frey, Mercadinho 2000 e MS Frios. O MS Frios informou à equipe do Procon que não está comercializando ovos de Páscoa, pois, de acordo com o estabelecimento, a alta temperatura gera um volume significativo de perdas. No entanto é o estabelecimento com maior variedade de peixes e produtos tradicionais da Páscoa em geral.

 

A maior variação de preços de ovos de Páscoa chega a 32,80% e o produto é o Ovo Lacta ao Leite, da marca Lacta, que foi encontrado no valor de R$ 28,60 em um estabelecimento, e R$ 37,98 em outro.

 

Dos supermercados pesquisados, dois apresentam o maior número de ovos com o menor preço, Quadri e Fernandes. “Apesar de compreendermos que a momento da Páscoa faz com que os consumidores a comprem Ovos, o Procon de Corumbá, buscou alternativas que pudessem ajudar a população a não deixar de consumir o chocolate, um dos símbolos desta data comemorativa. Assim, tivemos a iniciativa de pesquisar o preço das barras de chocolate, que podem substituir o ‘Ovo de Páscoa’ e não deixando de praticar a tradição.”, explicou Andréa. Já os produtos como peixes e frango, a maior variedade é no Frey e no MS Frios.

 

A variação no valor das barras de chocolate em relação aos ovos aferidos por peso (gramas) foi de 370%. “Analisarmos o preço, por exemplo, de uma barra de chocolate Diamante Negro (170g), R$ 8,25, e o Ovo Diamante Negro (320g), R$ 51,55, consumindo a mesma quantidade de chocolate, a economia será de R$ 37,72 comprando uma barra. Portanto, o preço que se paga pelo ‘momento Páscoa’ supera em muito o valor real e comercial do mesmo produto só que em formato diferenciado”, observou.

 

Quanto aos demais produtos consumidos nessa época do ano, o bacalhau apresentou uma variação de 93,06% e o Pacu chegou a mais de 140%. Além dos produtos citados entraram também na pesquisa o atum e sardinha em lata, frango inteiro, sardinha congelada in natura, fubá saboró e queijo, todos utilizados e consumidos tradicionalmente na região na Semana Santa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Com artesanatos produzidos por reeducandos, 12ª Feira do Artesão Livre “Especial de Natal’ será em formato virtual pelo WhatsApp
PF cumpre mandados de busca contra exploração sexual de crianças
SES realiza webinário sobre ‘Febre Amarela: Humana, Animal e Imunização’
PF deflagra nova fase da Lava Jato; alvo é ex-funcionário da Petrobras
Capacitações devem atingir mais de 4 mil profissionais da assistência social em MS
Corpo de Maradona é velado no palácio presidencial da Argentina
Indígenas de MS começam ser contratados para colheita da maçã
Polícia prende dois por suspeita de crimes eleitorais no Rio
Operação Pátio Zero: mais de 400 motocicletas estão disponíveis em leilão de sucata aproveitável
2ª alta em novembro: preço da gasolina sobre 4% nesta quinta-feira