Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Marinha e Prefeitura acreditam no Porto Comercial como gerador de emprego e renda

13 janeiro 2017 - 14h01

“É um empreendimento que vai gerar mais renda e mais emprego para Ladário”. A frase foi dita como garantia de um especialista em navegação que depois de dois anos comandando o 6º Distrito Naval de Ladário, se prepara para deixar o município, referindo-se ao Porto Comercial da cidade. O contra almirante Petrônio Augusto Siqueira de Aguiar esteve na manhã desta quinta feira (12), ao lado de seu sucessor, o também contra almirante Luiz Otávio Barros Coutinho, no gabinete do prefeito Carlos Ruso, na Prefeitura Municipal de Ladário.

Durante o encontro, um dos temas mais relevantes, além da manutenção da parceria entre as duas instituições, foi a reativação do Porto de Embarque e Desembarque de cargas de Ladário. “É um importante fator de desenvolvimento para o município”, disse Ruso, para quem o transporte hidroviário será determinante para alavancar uma nova fase que vai determinar o fortalecimento econômico de Ladário.

“Eu fiquei impressionado quando fui a Porto Murtinho, com a movimentação na cidade, filas e filas de caminhões”, disse Petrônio, se referindo ao embarque e desembarque de cargas na cidade sul-mato-grossense, que também fica às margens do rio Paraguai. Murtinho foi beneficiada por um decreto assinado pelo governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, que ofereceu vários incentivos e fomentou as operações naquela cidade, a exemplo do que deve acontecer em Ladário, também beneficiada no mesmo decreto.

“A nossa primeira pauta com o governador será o porto. Assim que formos a Campo Grande conversar com ele, esta será a nossa prioridade”, afiançou Ruso, que já esteve na sede da Administração da Hidrovia Paraguai/Paraná (Ahipar), em Corumbá, conversando com o coordenador da hidrovia, Marcos Derzi. Para ele, a implementação do porto é questão de tempo e, “quando se tornar realidade, vai gerar emprego e renda para nossa gente que vai atender ao movimento de caminhões e cargas e ainda se beneficiará dos tributos gerados pelo transporte de cargas”, afirmou.

O encontro foi um entrelaçamento de parcerias entre as duas mais fortes instituições de Ladário e da fronteira oeste do Brasil. A Marinha emprega hoje1900 militares e a Prefeitura, 870 servidores. Além disso, as ações sociais desenvolvidas individual ou conjuntamente, são de suma importância para a população, tanto de Ladário, quanto de Corumbá.

“Eu entendo que nós somos partícipes. A Marinha tem mais de 1900 pessoas aqui, nossos militares estudam, os filhos de nossos militares estudam nas escolas aqui, então, o aspecto social, econômico, tudo influencia nessa área de Ladário, então é muito importante essa relação. Temos que dar continuidade”, disse o almirante Barros, que irá assumir o Distrito Naval nesta sexta feira, 13/01, já demonstrando boa vontade em participar do dia a dia da comunidade ladarense.

O prefeito Carlos Ruso foi militar da Marinha. Como fuzileiro naval ele diz ter aprendido a ter disciplina, o que irá ajudá-lo na administração do município. Além disso, ficou evidente na reunião de hoje, que como militar da reserva, o diálogo com os comandantes ficou muito mais franco e aberto, de forma a facilitar o entendimento entre as duas mais fortes e importantes instituições da região pantaneira. (Assessoria de Comunicação e Imprensa – PML)

Deixe seu Comentário

Leia Também

INSS vai aumentar capacidade de atendimento da Central 135
Indústria da construção mostra sinais de recuperação, diz CNI
Desemprego subiu 27,6% em quatro meses de pandemia
Sampaio Corrêa e Moto Club duelam no 1º jogo da final do Maranhense
Senadores da Comissão do Pantanal aprovam cronograma de trabalho
IBGE: em MS, 15% dos que realizaram testes para Covid-19 até agosto testaram positivo
Câmara instala comissão para reformar Lei da Lavagem de Dinheiro
Brasileirão: Thiago Neves pode estrear no Sport em duelo contra Timão
Chuva no Rio de Janeiro em um dia supera média do mês
Justiça marca júri de acusado de matar professora com 36 facadas