Menu
Busca quinta, 12 de dezembro de 2019
(67) 99820-0742
Set

Estudantes de Corumbá produzem contos com histórias fantásticas durante Oficina no Fasp

13 novembro 2019 - 16h15Por Portal Governo do Estado MS

Os alunos do 2º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Maria Leite, em Corumbá, tiveram a oportunidade de produzir muitas histórias fantásticas envolvendo a sua cidade, durante a Oficina de Narrativas Fantásticas, na tarde desta terça-feira, 12 de novembro. A Oficina faz parte da programação do 15º Festival América do Sul Pantanal e foi ministrada por Adrianna Alberti, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Letras da UEMS e formada em Psicologia pela UFMS.

“O fantástico pode ser entendido como uma estética abrangente que abarca diferentes expressões artísticas, e que traz uma narrativa que remete a aparições de elementos sobrenaturais ou insólitos – inexplicáveis pelas leis da física ou raciocínio lógico. Esses elementos rompem com a proposta de realidade estabelecida dentro de determinada obra, cuja verossimilhança com a realidade é marcada na narrativa. O fantástico obtém sucesso ao provocar no leitor a incerteza de sua percepção do real e, consequentemente, da percepção de sua própria existência”, explica.

Depois de uma breve explicação teórica sobre o que é a escrita, gêneros literários, elementos da narrativa e a narrativa fantástica, foi proposto aos alunos que escrevessem um conto curto sobre alguma história fantástica que fosse ambientada em Corumbá.

A estudante de 17 anos Amanda Paez escreveu sobre uma menina que, caminhando, decidiu ouvir a “voz do futuro”. “Para mim foi uma experiência muito boa, eu mesma não acreditava que poderia fazer isso. Foi uma quebra de barreiras. Senti uma dor de cabeça no começo, mas depois a escrita fluiu, foi muito espontâneo. Você consegue associar o mundo fictício com a realidade. Para algumas pessoas isso não faz muito sentido, mas faz sim”.

Maria Cristina Barbosa, de 18 anos, contou a história de uma menina que foi sequestrada e nunca mais voltou para casa. “No conto ela tinha a minha idade quando desapareceu. Gosto muito de escrever, por isso decidi fazer a oficina. Pretendo ser pedagoga e ensinar crianças pequenas”.

A coordenadora do Núcleo do Livro, Leitura e Literatura da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Melly Fátima Goes Sena, decidiu trazer a oficina para o Festival para incentivar a formação de futuros escritores. “Corumbá por si só é uma cidade onde temos os primeiros registros literários do sul de Mato Grosso, e tem muitas histórias permeadas pelo fantástico, como o minhocão, as sandálias do Frei Mariano e a noiva da ponte Itaú. A gente está aqui fomentando a escrita e quem sabe incentivando futuros escritores, numa visão a longo prazo”.

Estiveram presentes na abertura da oficina a diretora da escola, Suelise Cortez; a coordenadora regional de Educação de Corumbá, Maria Iolina Rocha Santos e o diretor-presidente da Fundação de Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá, Joilson Silva da Cruz, um dos homenageados do Festival este ano. A diretora reafirmou a importância de o Festival estar na escola proporcionar a troca de conhecimento cultural sobre os vários países da América do Sul.

 

Para Joilson, “não existe um povo sem cultura e uma das ferramentas que indica para esse acesso é a educação. É importante a realização das oficinas no festival, que estejam na cidade, e principalmente aquelas que são salvaguardas para a nossa história”.

A coordenadora regional de Educação deu as boas vindas aos participantes e enfatizou a importância da Secretaria Municipal de Educação com a Fundação de Cultura: “Nós acreditamos no jovem e é por meio da formação integral do jovem aliando cultura e educação que nós estaremos contribuindo para a formação de cidadãos íntegros, que conseguem se posicionar nos obstáculos da vida e conseguem mesmo com dificuldade achar um caminho para seus problemas diários e implementar sua vida futura”.

A Oficina de Narrativas Fantásticas será realizada no dia 13 na Escola Estadual Dr. João Leite de Barros, e no dia 14, na Escola Estadual Carlos de Castro Brasil. São oferecidas 30 vagas por oficina, sempre no período da manhã.

Fasp – Realizado com investimento público da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e patrocínio da Energisa, Vale, Caixa Econômica Federal e Governo Federal, o 15º Festival América do Sul Pantanal (Fasp) acontece entre os dias 14 e 17 de novembro.

A programação foi pensada para agradar a todos os gostos. E claro, tudo com entrada franca. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas na nossa página (www.fundacaodecultura.ms.gov.br) ou pelo telefone 3316-9109. 

Deixe seu Comentário

TECNODENTAL
Set 2

Leia Também

Pai dá carro para filho de 15 anos ir ao mercado e acaba preso
Auxiliar de cozinha pede ajuda para encontrar filha desaparecida há dois dias no Noroeste
Procon faz ‘batida’ para garantir passagens de ônibus de graça para idosos
Escorpiões invadem casas e Sesau registra mais de 4 casos por dia
Planalto: Bolsonaro retirou lesões causadas por exposição ao sol
Bolsonaro amplia saque do FGTS para R$ 998 e quem já tirou R$ 500 pode receber a diferença
Mergulhada em crise, prefeita quer aumentar em 55,27% o próprio salário
Caminhada na área central encerra ações da semana da primeira infância em Corumbá
Ciranda da morte na fronteira tem alta de 85% em 2019 e crimes entrelaçados
Homem que atacou criança na rua foi interditado judicialmente há 7 anos