Menu
Busca terça, 17 de setembro de 2019
(67) 99820-0742
Set

Corumbá lidera queimadas no País e Estado decide declarar emergência

11 setembro 2019 - 16h10Por Campo Grande News

Com mais 253 focos de incêndios florestais registrados na terça-feira (10), a cidade de Corumbá chegou a 3.137 pontos este ano e ultrapassou Altamira (PA), com 3.081. O município pantaneiro agora é líder em queimadas no Brasil. O governo do Estado vai decretar situação de emergência e solicitar apoio do Exército para combater o fogo.

 

Os números de focos de incêndio são do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Na terça, Mato Grosso do Sul bateu o recorde de queimadas detectadas no ano, com 678 pontos – quase o dobro dos 397 da última segunda-feira (9). O Estado ficou atrás apenas do vizinho Mato Grosso, que registrou 772 no dia.

O coordenador estadual do Prevfogo/Ibama (Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), Márcio Yule, adiantou que a administração estadual prepara decreto de situação de emergência. O coordenador da Defesa Civil sul-mato-grossense, coronel Fábio Catarineli, confirmou levantamento de dados para viabilizar o decreto. O ato permite que o governo estadual faça contratações sem passar pelo processo burocrático da licitação.

O Estado segue o caminho aberto por Mato Grosso, que decretou estado de emergência em decorrência das queimadas na terça-feira. A situação na federação vizinha tem duração de 60 dias e poderá ser prorrogada.

“Ontem [terça] foi extremamente crítico. Altas temperaturas, baixa umidade, vento. São fatores aliados que interferem na propagação do fogo”, comentou Yule.

Gráfico compara focos no Estado até setembro com acumulado de anos anteriores (Fonte: Inpe)Gráfico compara focos no Estado até setembro com acumulado de anos anteriores (Fonte: Inpe)

Estados - Com 1.552 focos de incêndios florestais neste mês, Mato Grosso do Sul só fica atrás de Mato Grosso (4.781) e Rondônia (1.611).

No acumulado do 2019 já são 6.301 queimadas detectadas pelo Inpe. O número já supera a quantidade de focos acumulados em seis dos últimos dez anos (2.380 em 2018; 5.737 em 2017; 4.617 em 2015; 2.214 em 2014; 3.615 em 2013; 3.731 em 2011).

O Estado tem três municípios no ranking de queimadas em setembro. Além de Corumbá, líder com 633 pontos, Porto Murtinho soma 375 e está na terceira posição. Aquidauana, com 232 focos de incêndio, é a nona do Brasil neste mês.

Terras indígenas - A situação em Porto Murtinho atinge a terra indígena Kadiwéu, onde foram contabilizados 69 pontos de queimadas na terça-feira. Entre áreas de reserva, o local só perdeu para a terra Urubu Branco, que abrange as cidades de Santa Terezinha, Confresa e Porto Alegre do Norte, em Mato Grosso, e somou 75.

Dados do Inpe ainda apontam para quatro focos de incêndios florestais na terra indígena Taunay/Ipegue, em Aquidauana, e três na reserva Lalima, em Miranda.

Deixe seu Comentário

Set 2

Leia Também

Bolsonaro tem alta e deixa hospital em São Paulo
WWF-Brasil lança concurso de fotografia para destacar as belezas naturais do Pantanal e da bacia do Alto Paraguai
Violência por dizer “não” ao ex-namorado fez Ana largar tudo e sair pelo mundo
Dica da semana: "O Homem que Viu o Infinito"
MS registrou 2.070 focos de calor em setembro, segundo dados do Inpe
Em 12 horas, queimadas destruíram 200 hectares em Bodoquena
Sem poder doar medula para Calebe, mãe quer alguém compatível para livrar seu filho da leucemia
Mato Grosso do Sul é o segundo no País com mais abates de bovinos
Homem leva mordida de cão, exige desculpas do vizinho e denuncia crime em MS: 'Coloca vinagre que é bom'
Marido quer que mulher aborte bebê só porque é uma menina