Menu
Busca domingo, 05 de abril de 2020
(67) 99820-0742
Set

Prévia da inflação oficial desacelera para 0,22%, menor resultado para fevereiro desde 1994

20 fevereiro 2020 - 14h30Por G1

O índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que é uma prévia da inflação oficial do país, desacelerou de 0,71% em janeiro para 0,22% em fevereiro, conforme divulgado nesta quinta-feira (20) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se do menor resultado para meses de fevereiro desde o início do Plano Real (1994).

Segundo o IBGE, o resultado foi favorecido pelas quedas nos preços das carnes (-5,04%) e das passagens aéreas (-6,68%).

Alta de 4,21% em 12 meses

 

O índice acumula no ano alta de 0,93% nos 2 primeiros meses do ano.

Em 12 meses, a alta acumulada recuou de 4,34% em janeiro para 4,21% em fevereiro, mas acima do centro da meta de inflação perseguida pelo Banco Central (BC), de 4% em 2020.

O indicador ficou um pouco abaixo da mediana das estimativas apurada pelo Valor Data com 31 consultorias e instituições financeiras, de 0,24% de aumento. O intervalo ia de alta de 0,15% a 0,30% de avanço.

 

3 dos 9 grupos registraram deflação

 

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE, três apresentaram deflação em fevereiro: Vestuário (-0,83%), Saúde e cuidados pessoais (-0,29%) e Alimentação e bebidas (-0,10%).

Os preços das carnes recuaram 5,04% em fevereiro após avanço de 27,95% em quatro meses seguidos de altas, representando um impacto de -0,13 ponto percentual no índice geral. Por outro lado, houve alta nos preços do tomate (28,96%) e da batata-inglesa (5,23%), que já haviam subido em janeiro.

 
 

O que mais pesou no resultado de fevereiro foi a alta de 3,61% no grupo Educação, refletindo os reajustes normalmente praticados no início do ano letivo. O item cursos regulares (4,36%) foi o responsável pela maior pressão individual no IPCA-15 de fevereiro, com impacto de 0,20 p.p.

Também ficou mais caro o custo com Transportes (0,20%), em meio a reajustes de tarifas de ônibus urbanos, trem e metrô em diversas localidades.

Os preços da gasolina (0,21%), do etanol (2,69%) e do óleo diesel (0,04%) subiram menos que no mês anterior (2,64%, 4,98% e 1,47%, respectivamente). Na véspera, a Petrobras anunciou o primeiro reajuste do ano nos preços da gasolina nas refinarias.

Já os preços da energia elétrica recuaram 0,12% com a mudança de bandeira tarifária para verde, em que não há cobrança adicional na conta de luz.

Veja o resultado para cada um dos grupos pesquisados pelo IBGE:

 

  • Alimentação e bebidas: -0,10%
  • Habitação: 0,07%
  • Artigos de residência: 0,17%
  • Vestuário: -0,83%
  • Transportes: 0,20%
  • Saúde e cuidados pessoais: -0,29%
  • Despesas pessoais: 0,31%
  • Educação: 3,61%
  • Comunicação: 0,02%

 

 

Perspectivas e meta de inflação

 

A meta central do governo para a inflação em 2020 é de 4%, e o intervalo de tolerância varia de 2,5% a 5,5%. Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic), que está atualmente em 4,25% ao ano – mínima histórica.

Deixe seu Comentário

Set 2

Leia Também

Universidade vai produzir álcool 70% para atender demanda do HU de Dourados
Parceria vai consertar respiradores parados para atender pacientes com coronavírus em MS
Polícia atende denúncias de aglomeração e prende foragidos da Justiça
Futebol brasileiro tenta salvar 156 mil empregos durante a crise do coronavírus
Governo usará dados de teles para monitorar circulação de pessoas
Concurso com 362 vagas e salários de até R$ 10,8 mil prorroga prazo de inscrições
Homem dá tiro de pistola na rua e corre da PM no São Francisco
Homem é assassinado com pauladas na cabeça depois de bater na esposa grávida em Dourados
Estudante arremessado de carro tem morte cerebral constatada
Sem saber que estava grávida de trigêmeos, mulher dá à luz em casa