Menu
Busca quinta, 02 de abril de 2020
(67) 99820-0742
Corona

Mesmo com MP revogada, Consórcio Guaicurus suspende contrato de trabalho dos motoristas

26 março 2020 - 17h00Por Midiamax

Com os ônibus parados nas garagens, o Consórcio Guaicurus suspendeu o contrato de trabalho dos motoristas. O contrato fica suspenso desde o primeiro dia sem ônibus nas ruas, sábado (21), até o dia 5 de abril, ou seja, 15 dias. O presidente Jair Bolsonaro chegou a editar uma medida provisória com regras trabalhistas durante o período de calamidade pública, que previa a suspensão de contratos por até quatro meses, mas trecho foi revogado.

A suspensão do contrato foi inclusa em um aditivo à convenção coletiva de trabalho. O Consórcio leva em conta que não tem receita para operar, já que a circulação dos coletivos foi proibida por causa do coronavírus e só alguns ônibus estão nas ruas, para garantir a mobilidade dos profissionais da saúde. Só não terão os contratos suspensos os funcionários que continuam trabalhando, os que estiverem de férias ou ainda aqueles que usufruem de benefício previdenciário. 

O diretor-financeiro do STTCU (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande), Willian Alves da Silva, explica que a categoria esteve reunida com as empresas, que decidiram suspender os contratos por 15 dias por falta de dinheiro. Ele afirma que o sindicato exigiu que o Consórcio mantivesse os benefícios dos funcionários, como o auxílio-alimentação e vale gás, por exemplo. 

Além disso, mesmo com a suspensão dos contratos, os motoristas devem receber o salário completo em abril. Ele explica que os motoristas trabalharam até o dia 20, mas a empresa vai fazer o adiantamento de 10 dias de salário, para que eles não sofram um ‘baque’ no orçamento. 

“As empresas vão pagar o salário completo, não só até o dia 20, que foi quando parou. Vão fazer adiantamento dos 10 dias [que faltam] para o funcionário receber o salário integral”, diz. 

O diretor explica que o funcionário poderá decidir como vai ‘pagar’ estes 10 dias de trabalho. “Empresas vão chamar cada funcionário e ver como fica melhor, se paga em hora extra ou nas férias que vão vencer esses 10 dias”.

Jornal Midiamax entrou em contato com o Consórcio Guaicurus, mas não obteve resposta até a publicação da matéria.

Deixe seu Comentário

Set 2

Leia Também

Covid-19: Governo Federal zera estoque de equipamentos de proteção a profissionais de saúde
Jovem de 21 anos morre em hospital de Dourados com suspeita de coronavírus
Presidente das Filipinas manda “atirar para matar” quem desrespeitar isolamento
Covid-19: governo aprova medidas para área da assistência social
Com tornozeleira em falta, policial da Máfia do Cigarro fica sem monitoramento
Votorantim doa 500 máscaras para Secretaria Municipal de Saúde
Polícia Militar prende homem após assalto no bairro universitário em Corumbá
Polícia Civil descobre central de álcool em gel falsificado em SP
Câmara de Campo Grande aprova R$ 5,2 milhões para entidades; confira lista
Marido é preso após dar soco no rosto da mulher que estava com filho no colo