Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(67) 99820-0742
Set

Mãe confessa que esganou filho de 11 anos com corda de varal: 'Era desobediente'

28 junho 2020 - 09h00Por Top Midia News

Alexandra Dougokeski, 33 anos, assumiu que matou o filho de 11 anos, esganado com uma corda de varal, em Planalto, Rio Grande do Sul. O crime ocorreu em 15 de maio, mas até então, a suspeita sustentava a tese de acidente. 

A nova versão foi dada à Polícia Civil gaúcha neste sábado (27). O motivo do pequeno Rafael foi porque ele não obedecia às ordens dela. 

A mãe relembrou que, por volta de meia-noite de 15 de maio deu dois comprimidos de Diazepam ao filho, depois de ter flagrado ele várias noites mexendo no celular. Ela voltou ao quarto às 2h e ficou descontrolada ao ver que o filho não dormiu, mesmo com efeito do calmante.

''Naquele momento, ela perdeu o controle da situação e resolveu de fato estrangular ele'', disse diretor de investigações do Departamento de Homicídios, Eibert Moreira Neto. Alexandra então foi até a área de serviço, pegou a corda, armou o laço e voltou para matar o garoto. Consta que o filho se debateu, caiu no chão e machucou a costela, o que foi confirmado pela necropsia. 

''Ela diz que quando ela deu o laço, o menino asfixiou e caiu. Quando ele cai, ela sai do quarto e deixa ele asfixiando. Depois de um tempo ela retorna e vê que ele desfaleceu. Ela então vai ao quarto dela, pega uma sacola plástica, pois não consegue olhar para o rosto dele. Com essa sacola, cobre o resto do menino, pega ele no colo e transporta até a casa vizinha, onde sabia que tinha uma caixa'' relatou o diretor ao portal Gaúcha ZH. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Criança atropelada na MS-276 está internada em estado gravíssimo
Morador de Rio Brilhante morre de covid-19 aos 55 anos
Capotamento de Hilux destruiu raio-x que seguia para a UPA Universitário
Brasil chega aos 70 mil mortos pela covid-19
Em 14 dias, ocupação das UTIs de Campo Grande quase dobrou e chega a 75%
Ex-secretário de Saúde do Rio estava com R$ 6 milhões em espécie
Justiça rejeita pedido de interferência na Prefeitura de Dourados sobre falta de leitos
Polícia fiscaliza 12 toneladas de pescado em Campo Grande e encontra irregularidade
Com gasolina mais cara, inflação volta a subir em Campo Grande
MS passa dos 12 mil casos de coronavírus e registra 146 mortes pela doença