Menu
Busca quinta, 04 de junho de 2020
(67) 99820-0742
Set

João de Deus é condenado por posse ilegal de arma de fogo

08 novembro 2019 - 09h45Por G1

João de Deus foi condenado, nesta quinta-feira (7), a 4 anos de prisão em regime aberto por posse ilegal de armas de fogo em Abadiânia, cidade goiana do Entorno do Distrito Federal. A mulher dele, Ana Keyla Teixeira, também era ré no processo, mas foi absolvida.

Esta é a primeira condenação de João de Deus, que está preso e também é acusado de crimes sexuais durante atendimentos espirituais. Preso, ele nega as acusações.

A decisão foi dada pela juíza Rosângela Rodrigues. Como o processo corre em segredo de Justiça, não foram divulgadas, até a última atualização desta reportagem, mais informações sobre a sentença.

O Ministério Público de Goiás propôs a denúncia. "Estudamos recorrer no tocante à pena e também pela absolvição da Ana Keyla", informou o promotor de Justiça Luciano Miranda, coordenador da força-tarefa que apura as denúncias contra João de Deus.

Advogado do condenado, Anderson Van Gualberto informou que também deve recorrer da decisão "porque foi imposto o regime aberto para o cumprimento da pena e, mesmo assim, a juíza manteve a prisão de João de Deus, em um nítido contrassenso, aplicou regime mais brando e impôs a prisão em regime fechado ao meu cliente".

Preso desde dezembro do ano passado no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, João de Deus ainda responde a processos por crimes sexuais, falsidade ideológica e corrupção de testemunhas. Apesar de a juíza determinar que ele cumpra a condenação em regime aberto, ele segue detido por causa dos outros mandados de prisão que ainda estão em vigor.

 
 — Foto: Murillo Velasco/G1 — Foto: Murillo Velasco/G1

— Foto: Murillo Velasco/G1

Durante o depoimento à Justiça, em abril deste ano, Ana Keyla contou que só soube da existência de uma arma em sua gaveta de roupas íntimas no dia de seu depoimento sobre o caso à Polícia Civil, em 16 de dezembro. A esposa de João de Deus também afirmou que não tolera armas e não permitiria nenhuma em casa por causa da filha pequena.

Ana Keyla alegou que não morava mais na casa onde as armas foram encontradas e que a residência em questão era apenas “um ponto de apoio”. Segundo ela, desde quando João de Deus ficou doente, o casal vivia em Anápolis, cidade vizinha a Abadiânia.

 
Ana Keyla Teixeira, mulher de João de Deus, em audiência sobre acusação de posse ilegal de armas de fogo, em Anápolis — Foto: Fábio Lima/O PopularAna Keyla Teixeira, mulher de João de Deus, em audiência sobre acusação de posse ilegal de armas de fogo, em Anápolis — Foto: Fábio Lima/O Popular

Ana Keyla Teixeira, mulher de João de Deus, em audiência 

Denúncias

 

O Ministério Público de Goiás ofereceu 12 denúncias contra João de Deus, sendo dez por crimes sexuais:

 

  • Oito por crimes sexuais: dessas, quatro já tiveram audiências realizada, quatro com audiências a marcar;
  • Uma por crimes sexuais, corrupção de testemunha e coação: em fase de de inquirição de testemunhas via carta precatória ;
  • Uma por crimes sexuais e falsidade ideológica: atualmente está em fase de inquirição de testemunhas via carta precatória;
  • Uma por posse ilegal de armas de fogo e munição: na fase de memoriais
  • Uma por apreensão de documentos, arma de fogo e munição, em Anápolis, que segue em segredo de Justiça

Deixe seu Comentário

Leia Também

Espanha reabrirá fronteiras terrestres com Portugal e França neste mês
José de Abreu é desligado da Globo após 40 anos
Preso de 43 anos é suspeito do desaparecimento de Madeleine McCann em 2007
Caixa libera hoje saque da 2ª parcela dos R$ 600 para nascidos em maio
Falha no sistema teria atrasado pagamento para quem teve salário reduzido durante pandemia
Contrabandista é preso em hotel com celulares Xiaomi e vídeo games
Prefeitura de Corumbá recebe doação de EPIs do Lions Club Internacional
Alívio da dívida para países pobres pode se estender após final do ano
Menos de 25% das ocupações no Brasil têm potencial de teletrabalho
Sem pediatras, Maternidade Cândido Mariano deve fechar UTI neonatal nos próximos 30 dias